Crónicas de uma Leitora: Se os mortos não ressuscitam [Divulgação]

segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

Se os mortos não ressuscitam [Divulgação]

Autor: Philip Kerr
Edição/reimpressão: 2012
Páginas: 480
Editor: Porto Editora
 
Sinopse
Berlim, 1934. Os nazis garantiram a realização dos Jogos Olímpicos de 1936, mas enfrentam grande resistência estrangeira. Hitler e Avery Brundage, o presidente do Comité Olímpico dos Estados Unidos, tudo fazem para tentar encobrir o antissemitismo nazi e assim convencer a América a participar nos Jogos. Bernie Gunther, agora detetive num dos hotéis mais conceituados de Berlim, vê-se arrastado para este mundo de corrupção internacional, enredado entre as várias fações do aparelho nazi.

Havana, 1954. Fulgencio Batista, apoiado pela CIA, acabou de subir ao poder. Fidel Castro foi preso e a Máfia americana ganha poder sobre a indústria do jogo e da prostituição. Bernie, recentemente expulso de Buenos Aires, reemerge em Cuba com uma nova identidade, decidido a levar uma vida de relativa paz. No entanto, quando se depara com duas figuras do passado - um pérfido assassino dos tempos de Berlim, que pouco depois é misteriosamente assassinado, e uma antiga amante que, ao que tudo indica, poderá ser a responsável pelo crime -, percebe que não tem como lhe fugir. 
 
O autor:
Philip Kerr nasceu em Edimburgo em 1956 e estudou Direito na Universidade de Birmingham. Colabora assiduamente em publicações como o Sunday Times, o Evening Standard e o New Statesman. Para além dos catorze romances publicados, escreveu uma série de livros juvenis com o pseudónimo de P. B. Kerr. Traduzido em 25 idiomas, galardoado com inúmeros prémios importantes e com várias obras adaptadas ao cinema e televisão, Philip Kerr é um dos nomes mais consagrados do policial inglês.
O Projecto Janus recebeu, em 2009, o Prix du Polar Européen no Festival Quai du Polar de Lyon e foi finalista do prémio CWA Ellis Peters Historical em 2007.
 
IMPRENSA
Um dos romances policiais mais empolgantes do ano.
Sunday Times

Uma das grandes proezas do policial contemporâneo.
Observer

Kerr é exímio na arte de capturar o sentimento de época, sem nunca se esquecer de entreter o leitor e sem cair no erro de oferecer visõespolíticas.
The Sun

Um romance carregado de mistério, que evoca a sensibilidade negra de Raymond Chandler e Ross Macdonald, ainda que trilhando o seu próprio terreno literário.
Los Angeles Times
 

2 comentários: