Crónicas de uma Leitora: Amo ler porque... #7

quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

Amo ler porque... #7

A nossa amiga e colaboradora Isabel Almeida escreveu esta semana para a rubrica Amo ler porque... mas poderão conhecer melhor o seu trabalho no blog Os Livros Nossos.




   Amo ler porque, essencialmente, cresci rodeada de duas amantes de livros, que me incutiram este hábito que viria a transformar-se em paixão. A minha avó materna e a minha mãe eram leitoras aficionadas, e desde cedo, a minha mãe começou a construir a minha biblioteca. Ainda antes de saber sequer ler, já me deliciava em menina e moça a folhear as páginas coloridas da revista da Heidi. E quando aprendi a ler, devorei várias vezes essa colecção infantil, e tornei-me adepta dos livros da Anita, que adorava receber em qualquer ocasião.
   Mas aos 12 anos, adquiri novas paixões literárias, rapidamente substitui as histórias infanto-juvenis (Patrícia, Meg, Nancy, Os cinco) pelos mistérios criminais de Agatha Christie, e comecei também a descobrir nas estantes da minha mãe os grandes clássicos da literatura Universal, como Balzac, Zola, o nosso delicioso Eça de Queirós, Gustave Flaubert.
   Depois na adolescência e chegada à idade adulta, tive a minha fase de thrillers e policiais, durante anos devorei diversos autores deste género, clássicos ( como Agatha Christie, Rex Stout, Conan Doyle, Georges Simenon) e contemporâneos, onde descobri autoras marcantes como Patricia Cornwell ( e a série de Kay Scarpetta, uma patologista forense que trabalha em cooperação com o FBI), Tami Hoag, Patricia MacDonald, e Lisa Gardner.
   Marcaram também o meu percurso autores contemporâneos ousados como Sydney Sheldon, Harold Robbins, e Jackie Collins.
   Seguiram-se anos de investimento e leitura de obras do sobrenatural, com especial destaque para tudo o que tenha a ver com vampiros, donde sou fã assumida das sagas Crepúsculo e Sangue fresco (cada uma no seu género). Mais recentemente, descobri a fantasia urbana temperada com notas sensuais, nas obras de J. R. Ward.
   Mas a paixão literária mais recente, e a actual tendência maioritária vai para os romances sensuais (em especial com fundo histórico). Autoras preferidas neste género, das que já li, sem dúvida, Jennifer Haymore, Kate Pearce, Cheryl Holt e, mais recentemente, Nicole Jordan.

  A par da paixão pela leitura (que ainda hoje me faz transportar literalmente kilos de livros quando vou de férias), foi nascendo também, e em simultâneo, o gosto pela escrita. Até que veio o jornalismo regional, e mais recentemente, após a realização de um  trabalho de Faculdade sobre psicologia da literatura, cimentou-se a ideia de criar um blog literário, e assim nasceu, há já quase um ano, o blog Os Livros Nossos.
   Quanto ao livro que mais marcou a minha formação como leitora, destaco o livro “O Prémio” de Irving Wallace, li vários outros romances do autor, e todos eles recomendo sem reservas: “o Todo-poderoso”, “ A Ilha das Três Sereias”, “A vigésima sétima mulher”.
Em suma, ler é algo para mim tão natural e necessário ao equilíbrio como beber um copo de água ou alimentar-me. Os livros são, sem dúvida, o alimento do espírito, e assusta-me imenso que as gerações mais novas sejam, por vezes, avessas a este hábito. Uma das coisas que mais me entristece é ouvir jovens dizer o clássico “Ler é uma seca”, é algo que não concebo quando penso em mim própria, e gostaria de ter poderes mágicos, de encontrar uma fórmula perfeita que corrigisse esta questão da aversão à leitura, e creio que o sistema de ensino, tem ai uma palavra a dizer, e muitas mudanças são necessárias.

Sem comentários:

Enviar um comentário