Crónicas de uma Leitora: Opinião de "A Jóia das sete estrelas" de Bram Stoker

domingo, 2 de junho de 2013

Opinião de "A Jóia das sete estrelas" de Bram Stoker





Sinopse:
Um ataque misterioso subitamente desencadeado contra o pai de Margaret Trelawny faz com que o jovem advogado Malcolm Ross acorra a casa do eminente egiptologista. Por entre múmias e diversas relíquias orientais estão atuantes forças muito antigas, maiores do que qualquer deles poderia ter imaginado. A rainha Terra despertou e prepara-se para vir tomar posse daquilo que acredita ser seu. Passado em Londres, na Cornualha e no Egito e escrito numa altura em que o fascínio pelo Oriente estava generalizado em Inglaterra, A Joia das Sete Estrelas traduz o interesse quer na alegada selvajaria e degradação moral dos povos orientais, quer na sua beleza exótica e na sua opulência. Publicada originalmente em 1903, na sequência do célebre Drácula, esta versão do romance nunca foi reeditada desde então. Uma história de possessão e de reencarnação, baseada num profundo conhecimento da Egiptologia. "O seu melhor romance sobrenatural". - The Times


Opinião da Helga,
Este livro foi editado pela 1.ª vez em 1903, e só agora, mais de um século depois re-editado.
É um livro complexo, tendo em conta as descrições, mitologia e artefactos egípcios nos quais se baseiam o livro. Trata-se simultâneamente de um romance, uma aventura, mistério e tragédia. No entanto confesso que andei um pouco perdida no meio de tanto simbolismo.
Narrado pelo brilhante jovem advogado Malcolm Ross, um jovem astuto e perspicaz, atento aos pormenores, este  deixa os seus afazeres quando a sua amada solicita o seu auxilio, Margaret Trelawny. O pai, Mr. Trelawny sofreu um misterioso acidente e ela não tem ninguém em quem possa confiar, sensivel e ao mesmo tempo uma mulher inteligente, mal conhece o pai que durante muitos anos esteve afastado em expedições arqueológicas no Egipto. 

O  ataque ao Mr. Trelawny é envolto em grande mistério e nem a Scotland Yard, na pele do Sargento Daw consegue acompanhar os acontecimentos, o mesmo se passa com o médico o Dr. Winchester no seu auxilio ao Mr. Trelawny,. Sucedem-se posteriormente outros ataques de menores dimensões, que vão ajudar o Dr. Winchester  a ponderar o impossível. A chegada de Mr. ªCorbeck com novidades sobr a sua demanda no Egipto a pedido de Mr. Trelawny  o impossível parece ser o mais viável e se torna mais claro os motivos por detrás dos acontecimentos, a partir deste ponto a leitura fluiu mais facilmente e confesso que  me agarrei ao fim do livro numa leitura compulsiva. 

O final não me surpreendeu, mas considerei uma leitura muito interessante e aconselho vivamente a quem gosta de livros de aventura que envolva mitologia, maldições e egípcios.



Helga

Sem comentários:

Enviar um comentário