Crónicas de uma Leitora: Cinema | Dia da Independência: Nova Ameaça | Opinião

quinta-feira, 23 de junho de 2016

Cinema | Dia da Independência: Nova Ameaça | Opinião



Em 1996, uma força extraterrestre invadiu a Terra e quase extinguiu a raça humana. Quando tudo parecia perdido, foi a coragem e determinação de alguns que tornaram possível a vitória. Desde então, através de tecnologia alienígena recuperada dessa invasão, as nações de todo o mundo têm colaborado no ESD (Earth Space Defense), um programa especial para proteger o planeta. O que ninguém poderia prever era que, 20 anos depois, uma força ainda mais poderosa viesse determinada a destruir toda a vida na Terra…


Depois de 20 anos após a estreia do primeiro filme, surge uma nova etapa nesta saga. Ninguém sabe bem o porque de fazerem um novo filme, a não ser que seja pela comemoração desta data, mas muitos irão concordar que mais valia estarem quietos.

A premissa do filme é igual à do anterior: o Planeta Terra é invadido por Aliens, só que desta vez, a ameaça é maior mas supostamente as autoridades responsáveis estavam preparadas porque como diz no poster do filme, sempre se saberiam que iam voltar. Pelos vistos não estavam tão bem preparadas ou tudo não se resolveria nos últimos minutos do filme.

Apesar de haver varias menções ao filme anterior, não há problema em ver-se este e não te visto o anterior mas até é interessante para quem não viu o primeiro perceber que este segundo é uma cópia só que definitivamente mais exagerado pois estamos em 2016 e não so a tecnologia evoluiu como os extraterrestres também e portanto há uma "Rainha" maior a abater e consequências mais graves a sofrer se os humanos não derrotarem os Aliens. O irónico é que é repetido ao longo do filme, por várias personagens, a frase de que "desta vez não iremos conseguir vencê-los".  Há tanto a perder mas poucas são as personagens que parecem realmente acreditar na vitoria. Todo o núcleo de personagens não é muito desenvolvido e é confuso tentar acompanhar tantos grupos de personagens ao mesmo tempo, são os militares, os políticos, os cientistas, os marinheiros e até uma família orfã e um grupo de crianças abandonadas. 


Para além do CGI carregado em quase todas as cenas do filme é quase de rir como as personagens ficam ilesas com tanto ataque, de seres muito superiores a eles. Isto tira um pouco a intensidade que o filme deveria ter, porque as personagens raramente ficam feridas e não há choque ou surpresa nenhuma. Para além de ser previsível desde o início até ao fim.

Em "Dia da Independência: Nova Ameaça" o que há-de mais nos efeitos visuais e no efeito psicótico que o filme tenta passar, perde no desenvolvimento do guião e na exploração de certas personagens. Contudo é um filme que entretêm e nesta altura do verão poderá proporcionar bons momentos no cinema a quem esteja à procura de muitas explosões e pirotecnia. 

Sem comentários:

Enviar um comentário