Crónicas de uma Leitora: "O Misterioso Caso de Styles", de Agatha Christie

terça-feira, 11 de dezembro de 2012

"O Misterioso Caso de Styles", de Agatha Christie


Autor: Agatha Christie
Edição/reimpressão: 2002
Páginas: 194
Editora: Edições ASA

Sinopse:
Acontecem coisas estranhas em Styles St. Mary...
A anfitriã, Emily, madrasta de John e de Lawrence Cavendish, tem o controlo absoluto da fortuna familiar desde que o marido morreu. É pois natural que aqueles fiquem bastante preocupados quando Emily decide casar com um homem vinte anos mais novo e ainda por cima com um passado suspeito.
O clima de tensão que se sente entre os membros da família Cavendish deixa o capitão Hastings, de visita à mansão, alarmado e convencido de que algo de terrível está para acontecer. E quando os seus piores receios se concretizam e Emily aparece morta no seu quarto, vale-lhe a ajuda do seu velho amigo Hercule Poirot. O reencontro entre ambos é caloroso mas não dissipa a indefinível e ameaçadora presença do mal...

Opinião:
Este livro retrata um caso que, actualmente, é quase um cliché: mulher poderosa, que manda em tudo o que é da família, apenas tolerada pelos familiares (eles não gostavam assim muito dela), casada com um homem vinte anos mais novo, aparece morta. Quem seria o principal suspeito? O marido, obviamente. Mas o caso não é assim tão simples, mesmo para Hastings, que é o narrador deste livro. E então aparece Poirot em cena...
Admito que nunca me tinha apercebido de como Poirot era convencido e presunçoso. Mas neste livro isso é por demais evidente, com as suas atitudes quase de superioridade. Odiei ver como ele tratou Hastings, como se ele não fosse suficientemente inteligente para atingir o seu raciocínio. Mas penso que foram estas peculiaridades no detective que o colocaram no pedestal em que ele está no mundo literário. Ainda assim, o homem irritou-me imenso.
A história não me prendeu. O livro leu-se bem, mas não me cativou como outros já me cativaram. Penso que Poirot ajudou com isso, pois as suas teorias confundiam-me, e haviam tantos pormenores a considerar, que acabei por me perder um pouco. Acho que cheguei ao fim e continuei sem entender muito bem os motivos do assassino. Apesar de tudo, o final surpreendeu-me (como é costume), pois toda a história deu tamanha volta que eu só pensei "é impossível!". Sim, apesar de ser um pouco confuso, o livro não deixa de ser genial. E quem estiver com toda a atenção, conseguirá decerto captar todos os pormenores e perceber todas as teorias, as que ilibam uns, as que condenam outros, as que estão certas e as que estão completamente erradas.
Apesar de não ter sido nem de perto o melhor livro de Agatha Christie, não é um livro mau. É uma leitura curta, que apesar de tudo consegue surpreender.

Sem comentários:

Enviar um comentário