Crónicas de uma Leitora: "Lendas do Porto, volume II", de Joel Cleto - Opinião

sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

"Lendas do Porto, volume II", de Joel Cleto - Opinião



Autor: Joel Cleto
Edição/reimpressão: 2012
Páginas: 168
Editor: Quidnovi


Sinopse:

Depois do sucesso de "Lendas do Porto", este segundo volume dá a conhecer mais duas dezenas de histórias tradicionais da região, não abdicando de uma análise crítica que não só explica o que nelas é inverosímil, mas que valoriza também o que nelas há de credível. Do povo que habitava há mais de dois mil anos o Monte da Senhora da Saúde, de que se perdeu a memória, até aos surpreendentes materiais de construção utilizados por Siza Vieira na Casa de Chá da Boa Nova, o leitor encontrará também, ao longo das páginas deste livro, as lendas que justificaram a relação da cidade com os seus três santos padroeiros, o motivo da associação do Futebol Clube do Porto ao dragão, a explicação de topónimos como Vitória e Campanhã. E porque o Porto é um território comum de Identidade, de Memória e de Património(s), de uma comunidade que não se confina ao espaço definido pelo rio Douro e pela Estrada da Circunvalação, as lendas que explicam a construção da igreja de Matosinhos, o reflexo da peste negra nas margens de Gaia, ou a origem das Águas Santas da Maia, juntam-se às suas congéneres portuenses, à mistura com tesouros até hoje escondidos, belas mouras encantadas, misteriosas deslocações de igrejas...

Opinião:
Encantador. Sonhador. Revelador. 
Ao contrário do que é habitual, não me vou debruçar sobre a obra. Vou antes referir o autor.
Joel Cleto consegue ser muitas coisas, que nem um super-herói dos tempos modernos. Vejamos, é historiador, arqueólogo, professor, orador, apresentador, comunicador. Umas das características que o distingue  é a forma como revela cada pormenor, bem como a paixão, ainda que contida, que incute em cada palavra, em cada gesto, em cada monumento que avalia, em cada esquina que dobra. Possui um conhecimento incalculável e sentidos de oportunidade e de análise incomuns. Nasceu para ser ouvido.
Estas linhas incidiram sobre o autor porque as páginas demonstram precisamente aquilo que Joel Cleto representa.
Preciosamente auxiliado pelas fotografias de Sérgio Jacques, Joel Cleto continua a deliciar-nos com lendas que nos fazem sonhar e sorrir, as mesmas que nos perseguem quando vagueamos pela área metropolitana do Porto.
Este livro, assim como o primeiro volume, e certamente os que se seguirão - porque existe muito para contar -, é altamente recomendável; representa o melhor de cada um de nós.

Sem comentários:

Enviar um comentário