Crónicas de uma Leitora: Entrevista a Liz Fenwick

terça-feira, 20 de novembro de 2012

Entrevista a Liz Fenwick

Nascida no Massachusetts e após nove mudanças internacionais, Liz Fenwick vive actualmente no Dubai com o marido e dois gatos (loucos). A sua primeira visita à Cornualha foi em 1989 comprando lá uma casa 7 anos depois e apesar de actualmente viver no Dubai o seu coração está sempre na Cornualha. O romance de estreia A Casa dos Sonhos foi publicado em Julho pela Quinta Essência e prepara neste momento o seu segundo romance A Cornish Affair que será publicado em meados de 2013, ficando os seus fãs a aguardar a versão portuguesa.
Simpática e bem disposta, Liz Fenwick acedeu de boa vontade a responder a umas perguntas nossas.

Crónicas de uma Leitora (CL): O gosto pela escrita surgiu a partir de que idade? 
Liz Fenwick (LF): Eu sempre quis contar histórias desde que eu me lembro, mas eu acho que tinha uns 12 ou 13 anos quando comecei a escrevê-las.

(CL): Tornar-se escritora foi sempre um desejo seu?
(LF): Ser escritora é o que sempre sonhei ... só que levou um muito tempo para ter a determinação de seguir em frente.

(CL): De que forma lhe surgem as ideias para o começo de um livro? 
(LF): O herói Mark era um interesse amoroso de outro livro, e eu queria contar a sua história. Havia também uma casa que sempre me intrigou. Além disso, havia o desejo de escrever sobre adolescentes quando eles estão naquela fase particularmente horrível.

(CL):Como surgiu a ideia para A Casa dos Sonhos? 
(LF): Foi realmente através da casa que começaram a surgir as ideias para a história.

(CL): No enredo de A Casa dos Sonhos nota-se que dá particular importância às relações familiares, em especial a relação agridoce de Maddie com a sua enteada Hannah. Em que é que se baseou na construção destas personagens? 
(LF): Eu adorava olhar para o conceito de uma família que não era realmente uma família. Como ser uma mãe quando nunca se foi uma, e se depara com uma criança que precisa de muito, mas muito de se abrir ...

(CL): No decorrer da escrita de um livro encontra personagens que acarinhe mais e personagens que, pelo contrário, despreze?
(LF): Eu não tenho certeza o que me estás a perguntar aqui. Mas foi muito divertido de escrever os "maus" personagens ... como Hannah. Eu também queria dar um par de estalos nela e dar-lhe uns valentes abanões, mas no final foi o que me fez também amá-la tanto.

(CL): Existem aspetos da personalidade de Maddie comuns a si? 
(LF): Sim, há um pouco de mim em Maddie como há em todas as personagens. A única coisa que eu compartilhei de mim com Maddie é a fé, que é o que faz a sua situação ser tão difícil. Perguntei-me sobre a única coisa que eu não faria ... um aborto, mas é claro que é fácil de dizer quando não se está nessa posição. Eu queria olhar para o que isso faria com vocês internamente se por um ato que vocês tivessem feito, algo que vocês só podiam odiarem-se, especialmente se fosse a única coisa que sempre tivessem querido. Mas, se há uma personagem é mais parecida comigo é Tamsin.

(CL): O que mais gostou durante a escrita de A Casa dos Sonhos? 
(LF): Eu amei escrever Hannah e o relacionamento com  Old Tom ... ela precisava de um mentor de alguém para lhe mostrar o que significa respeito. Foi muito bom escrever sobre o crescimento do seu relacionamento.

(CL): Trabalhou recentemente num novo romance, pode dizer algo sobre ele?
(LF): Eu terminei outro romance. Na Inglaterra, sairá em Maio de 2013 e é chamado de A Cornish Affair. Esperamos que ele seja traduzido para Português também. Tem lugar pouco antes de A Casa dos Sonhos e está situado na mesma aldeia. Tem muitas das mesmas pessoas nele incluindo Mark e Tamsin.

(CL): O seu percurso é interessante, viajando por vários locais e estabelecendo-se no Dubai, acha que isso influenciou a sua escrita?
(LF): O trabalho do meu marido levou-nos por todo o mundo ... Moscovo, Jacarta, Houston, Calgary e Dubai. Se viajar influenciou ou afetou minha escrita ... sim porque ajuda a olhar para lugares como um forasteiro. Eu acho que ajuda ser uma pessoa de fora como um escritor. Olhamos para as coisas de uma maneira diferente.

(CL): A Casa dos Sonhos foi muito apreciado em Portugal, gostaria de deixar uma mensagem para os fãs?
(LF): Fico muito contente de saber que gostaram do livro em Portugal e tenho adorado sabê-lo pelos leitores. Sinto-me muito humilde por lerem e gostarem. É um privilégio.

Agradecemos muito a Liz pela sua disponibilidade e simpatia!

Sem comentários:

Enviar um comentário