Crónicas de uma Leitora: A Passagem, de Justin Cronin, [Opinião]

terça-feira, 4 de fevereiro de 2014

A Passagem, de Justin Cronin, [Opinião]





Para mais informações acerca deste livro clique AQUI




Sinopse:
A Passagem é o primeiro livro de uma grandiosa epopeia pós-apocalíptica. Uma experiência científica a que o exército dos Estados Unidos submete vários homens e uma menina, para os tornar invencíveis, resulta numa catástrofe cujos efeitos têm consequências inimagináveis. Os homens submetidos àquela experiência tornam-se detentores de extraordinários poderes, mas são monstros assassinos sedentos de sangue. Neste primeiro volume do livro acompanhamos a sangrenta destruição que se segue à invasão dos mutantes, bem como a penosa reorganização dos sobreviventes em pequenas comunidades precárias, onde a gestão dos escassos recursos é uma prioridade. Neste cenário de devastação instala-se uma dinâmica que vai modificando as personagens e as relações que se estabelecem entre elas. 





Este decerto é um tipo de livro que poderá agradar a muitos, uma vez que abrange pelo menos três géneros literários. Inicia como um comum romance, onde conhecemos a jovem Jeanette que após um romance com um homem casado, engravida de Amy. A vida de Jeanette vai de mal a pior, abandonada pelo namorado, conta com o apoio do pai até á sua morte. Após este último episódio, Jeanette é obrigada a prostituir-se para arranjar dinheiro para ela e sua filha. A narrativa é relativamente rápida, li os primeiros capítulos com muita angústia, especialmente por compreender que mãe e filha não teriam o final que desejava. Entretanto passamos para uma segunda parte do livro, onde somos confrontados com uma narrativa género Soldado Americano. O governo americano encontra-se a recrutar indivíduos que estão no corredor da morte para lhes ser implantado um determina vírus. Estas experiências não se encontram bem explicadas e, a dada altura é nos dado a conhecer que a última pessoa recrutada é Amy… quem não está de acordo com este recrutamento é nada mais, nada menos o agente que ficou de a recolher, acabando por fugir com ela… entretanto nas instalações onde decorrem as experiências dá-se uma revolta. Os homens a quem o vírus foi implantado transformam-se em sinistras criaturas a quem eu, no decorrer da leitura, dei o nome de vambies uma vez que são como que o cruzamento de um vampiro com um zombie. Estas criaturas conseguem-se evadir do local onde se encontravam aprisionadas e acabam por transmitir o vírus a toda a população. Finalmente a última parte do livro passa-se décadas depois, a civilização vive em pequenas comunidades totalmente artilhadas contra os ditos vambies. Vivem durante o dia, uma vez que as criaturas não conseguem andar à luz do dia e, durante da noite, protegem essas cidades com muros e luzes incandescentes… o problema é, que a bateria que sustenta a iluminação está prestes a terminar e não existe qualquer outro suporte de apoio!!! 

Relativamente à leitura deste livro devo dizer que ADOREI, como acima referi, ler A Passagem é como ler três livros distintos ao mesmo tempo. O discurso é rápido, fluído, apesar de não poder de forma alguma o considerar «leve». O autor consegue perfeitamente subjugar-nos às três fases distintas da narrativa, bem como a visualizar na perfeição os acontecimentos descritos. Imagino facilmente uma série a ser baseada neste livro, os direitos já foram comprados e acho que a rodagem da mesma já se iniciou. 

Aconselho sem quaisquer reservas aos amantes do género Fantástico/Thriller/Romance, é de facto um livro que prima pela originalidade. Até à data, nuca havia lido nada semelhante e fiquei fã sem sombra de dúvida.










Sem comentários:

Enviar um comentário