Crónicas de uma Leitora: A princesa de Gelo de Camilla Lackberg (Opinião)

quarta-feira, 20 de novembro de 2013

A princesa de Gelo de Camilla Lackberg (Opinião)



Sinopse
De regresso à cidadezinha onde nasceu depois da morte dos pais, a escritora Erica Falk encontra uma comunidade à beira da tragédia. A morte da sua amiga de infância, Alex, é só o princípio do que está para vir. Com os pulsos cortados e o corpo mergulhado na água congelada da banheira, tudo leva a crer que Alex se suicidou.
Quando começa a escrever uma evocação da carismática Alex, Erica, que não a via desde a infância, vê-se de repente no centro dos acontecimentos. Ao mesmo tempo, Patrik Hedström, que investiga o caso, começa a perceber que as coisas nem sempre são o que parecem. Mas só quando ambos começam a trabalhar juntos é que vem ao de cima a verdade sobre aquela cidadezinha com um passado profundamente perturbador…

Existem alturas em que não sabemos bem o que ler quando acabamos um livro que nos marcou. Eu sou uma pessoa que adora quase todo o género de literatura, mas desde muito nova, os policiais têm sido os vencedores. Tendo acabado de ler um thriller psicológico arrepiante (Objectos cortantes de Gillian Flynn), achei que pegar num romance, seria o ideal para aliviar um pouco da mente da sordidez do livro. Mas, a escolha acabou por cair novamente sobre um policial, e desta vez de Camilla Lackberg, uma estreia para mim. Já há muito tempo que oiço falar nos livros dela, e com a saída recente de um novo livro, nada como começar com o primeiro, "A princesa de Gelo". O facto "engraçado" e posso-lhe mesmo chamar coincidência, é que tanto num como no outro livro, as lâminas estão em destaque, se bem que por motivos diferentes. Outra coisa é que se num livro a personagem principal era uma jornalista, neste ela, sim uma mulher, é escritora. 
A primeira coisa que me chamou a atenção é a escrita fácil e fluída da autora. Conseguiu agarrar-me desde a primeira página, o que nem sempre é fácil.
A história começa pelo que parece inicialmente o suicídio de Alex, que é encontrada na banheira com os pulsos cortados e com a água gelada a rodeá-la. Erica, amiga de infância de Alex, é uma das primeiras pessoas a encontra-la. Quando os pais de Alex lhe pedem para escrever um panegírico, começa a falar com as pessoas que conviveram com elas nos últimos 25 anos, marido, família e amigos.
Aos poucos ela vai ficar a conhecer facetas da antiga amiga com as quais ela não poderia sequer sonhar. Como é que Alex, uma mulher rica e de classe se vai envolver com um pintor bêbedo que é o completo oposto dela? E porque é que tinha escondido um recorte com 25 anos, do desaparecimento do filho de umas das famílias mais ricas, se na altura do acontecimento ela não passava de uma criança? E qual é o papel de Júlia, irmã mais nova de Alex, no meio disto tudo? Ela que sempre foi o patinho feio da família. E porque é que de repente esta se começa a dar com Nelly Lorentz, mãe do desaparecido? E quem será o pai do filho de Alex que nunca chegou a nascer?
Será Erica e Patrick, um antigo colega dela de escola e actualmente policia na cidade que se vão ajudar mutuamente a desvendar os segredos que toda a gente teima em esconder
Tantas perguntas para responder e às quais só a poucas paginas do fim vamos tendo resposta.
Um desfecho surpreendente, cheio de suspense e que à medida que avançamos na narrativa nos deixa cada vez mais presos à história.


Sem comentários:

Enviar um comentário