Crónicas de uma Leitora: Paixões Agitadas, de Jill Mansell [Opinião]

sexta-feira, 19 de julho de 2013

Paixões Agitadas, de Jill Mansell [Opinião]



Para mais informações acerca do livro Paixões Agitadas clique Aqui


Sinopse

O ano novo aproxima-se e Liza, Dulcie e Pru já tomaram as suas resoluções. Quando se atinge a casa dos trinta, está na hora de dar um novo rumo à vida!

Liza quer casar-se. Não tem ninguém em mente, mas atrair homens interessantes nunca foi difícil para si. O problema é que não consegue manter-se interessada neles depois de os conquistar.

Dulcie acha que o casamento é uma chatice. O seu marido até é lindo, espirituoso e charmoso, mas Dulcie quer desesperadamente mais emoção na sua vida e está decidida a divorciar-se. Pru tem tanta autoestima como uma esfregona de chão. Adora o marido aventureiro e não consegue imaginar a sua vida sem ele. Mas conseguirá manter o casamento?

Que planos matreiros e maliciosos tem o destino, para três amigas que acham que sabem o que querem?

Opinião de Claudia Lé:

Ler um livro de Jill Mansell é como andar numa montanha russa uma vez que tanto a estória como o jeito particular da escrita da autora são povoados por constantes íngremes subidas bem como, vertiginosas descidas sempre a uma velocidade para além dos limites recomendados nos manuais do código de condução. Acho muito difícil alguém se aborrecer com o ritmo de um livro da autora (falando dos que conheço claro está) uma vez que praticamente em cada capítulo há um desenrolar inesperado. Este livro foi então ainda mais surpreendente no que diz respeito à natureza feminina e às suas constantes alterações de humores, sentimentos, crenças, etc.

Em Paixões Agitadas assistimos ao desenrolar da vida de três mulheres na casa dos trinta por altura da Passagem de Ano e das decisões de novo ano. Apesar de me ter rido bastante com estas três personagens, não estaria a ser autêntica se não as definisse como umas autênticas «cabecinhas de vento», notando-se ao longo do livro a sua evolução, bem como o amadurecimento de cada personagem de forma bastante peculiar. Os protagonistas masculinos não são assim tão perfeitos como os poderíamos considerar à primeira vista, no entanto não se encontram assim tão bem retratados como as personagens femininas. Poderei a estar a cometer uma gafe tremenda, mas achei que este livro é claramente direcionado para o público feminino.

Relativamente à capa, a Saída de Emergência contempla-nos com uma capa bastante diferente do que nos já habituamos e embora seja bastante apelativa tenho de fazer referência a um aspeto que acontece muitas vezes com várias editoras. Por vezes fico com a noção que quem escolheu a capa não leu o livro e porquê? As personagens estão na casa dos 30, as raparigas da capa têm todo o ar de 20 anos. Uma das protagonistas tem o cabelo curto e o marido de Pru não é definitivamente um jovem de vinte anos.

No entanto mais uma vez fiquei rendida à escrita desta autora, sem estarmos à espera acabamos por deixar escapar várias gargalhadas ao longo desta leitura descontraída ótima para quem está de férias, melhor ainda para quem acabou de sair de uma reunião chata com o chefe. A autora conseguiu surpreender-me muito na parte final do livro, mas não poderei dizer sob pena de spoiler mas realmente conseguiu-me fazer dizer um grande OHHHHHHH por duas vezes e em direções totalmente opostas!!!

Parabéns à Saída de Emergência por continuar a editar as obras de Jill Mansell e acima de tudo, publicá-los num período de intervalo entre estes relativamente curto acabando nós fãs da autora, por não desesperarmos durante longos meses por mais um bom e hilariante livro!

Sem comentários:

Enviar um comentário