Crónicas de uma Leitora: "Os Livros que Devoraram o Meu Pai", de Afonso Cruz - Opinião

sexta-feira, 26 de abril de 2013

"Os Livros que Devoraram o Meu Pai", de Afonso Cruz - Opinião


 
Sinopse
Vivaldo Bonfim é um escriturário entediado que leva romances e novelas para a repartição de finanças onde está empregado. Um dia, enquanto finge trabalhar, perde-se na leitura e desaparece deste mundo. Esta é a sua verdadeira história — contada na primeira pessoa pelo filho, Elias Bonfim, que irá à procura do seu pai, percorrendo clássicos da literatura cheios de assassinos, paixões devastadoras, feras e outros perigos feitos de letras.

Opinião do Vasco
Extraordinário. Encantador. Enternecedor.
"Os Livros que Devoraram o Meu Pai" é um pequeno livro de Afonso Cruz, escrito de forma a que toda a gente o possa ler e, assim, deliciar-se com ele. Mas é uma obra enorme, do melhor que se faz aqui, em Portugal, e em qualquer parte do mundo.
Neste livro somos de tal forma sugados que nem damos pelo passar das páginas; Somos ironicamente absorvidos, da mesma forma que Elias e Vivaldo o foram. Esta é a verdadeira magia desta história, pois acontece-nos o mesmo que às personagens assim que lêem grandes clássicos da literatura.
Acredito que esta narrativa transmite uma imensidão de mensagens, algumas mais óbvias do que outras.
Trata-se de um dos melhores livros que li nos últimos tempos, que une pessoas, sonhos, realidade, sentimentos e pensamentos. Daqueles que quando o fechamos, após a leitura da última página, sentimos o coração um bocadinho  mais acelerado do que é habitual.
Afonso Cruz é um grande autor e esta sua obra magistral.

 

3 comentários:

  1. Assim que vi este livro na livraria,não resisti a comprá-lo! Primeiro porque ainda não conhecia nada do Afonso Cruz; depois porque o título me despertou uma grande curiosidade!
    Adorei! Por isso adquiri um exemplar para a biblioteca escolar!

    ResponderEliminar