Crónicas de uma Leitora: A Casa da Seda de Anthony Horowitz [Opinião]

segunda-feira, 15 de abril de 2013

A Casa da Seda de Anthony Horowitz [Opinião]


A Casa da Seda
de Anthony Horowitz
Edição/reimpressão: 2013
Páginas: 284
Editor: Editorial Presença
ISBN: 9789722350358

Sinopse

Com um enredo genial e uma excelente caracterização, Anthony Horowitz criou um novo policial de Sherlock Holmes, captando totalmente o espírito dos livros originais de Sir Arthur Conan Doyle. Holmes regressa com a inteligência, a subtileza e o poder de dedução que fizeram dele o mais famoso detetive de sempre e, com ele, o seu inseparável amigo e biógrafo Watson. Os acontecimentos relatados nestas páginas figuram, segundo Watson, entre os mais sensacionais da carreira de Sherlock Holmes... Um livro que se recomenda vivamente aos fãs de Sherlock Holmes e a todos aqueles que apreciam um policial de excelência.

Opinião de Cláudia Lé:

Durante estes anos todos de leituras compulsivas, nunca li nenhum livro de Sherlock Holmes, sinceramente, apesar do meu gosto mórbido por policiais, policiais de época nunca me seduziram. No entanto, era fã assídua da série As Aventuras de Sherlock Holmes, passada na RTP1 há já uns bons anos. Daí que tenha iniciado a leitura de A Casa da Seda, não totalmente vendada mas sem conhecer realmente o tipo de escrita de Arthur Conan Doyle.

Para começar, fiquei rendida ao estilo de escrita de Anthony Horowitz, absolutamente nada pesada, muito descritiva mas sem cair nos exageros por vezes existentes em obras de época. Adorei as descrições de Londres, do seu constante nevoeiro, da classe operária, das crianças que vivem na rua, tão usual naqueles tempos. Se há matéria que bem recordo das aulas de história, é a da Revolução Industrial e tudo o que implicou para a classe operária bem como, o que implicou para muitas crianças que nunca sequer, chegaram a ser crianças. Uma frase que me arrepiou foi a de que uma das crianças tinha forrado o casaco com jornal para combater o frio. Muitas das crianças viviam da mendicidade, exploradas pela própria família, por outras crianças mais velhas ou patrões abusadores, arrepiante de fato.

A presente obra é narrada por Watson que decide tirar uns dias para visitar o seu amigo, após ter casado e ter saído de Londres. No decorrer de sua visita a Holmes, ambos são visitados por Edmund Carstairs, o dono de uma galeria de arte que acredita estar a ser seguido por um homem que o quer matar. Carstairs acredita que o homem que o segue pertence a uma quadrilha que, no decorrer de um roubo, havia danificado uma série de obras que a galeria de arte havia enviado para a América. A quadrilha era encabeçada por dois gémeos, tendo um falecido aquando o roubo. Assim sendo, Carstairs acredita estar a ser seguido pelo outro gémeo que quer vingar o irmão. Holmes e Watson iniciam a sua investigação solicitando ajuda aos meninos de rua para que vigiem o homem em questão. No decorrer de uma vigília, uma das crianças é assassinada após tortura, num dos seus pulsos, encontra-se uma fita de seda.

Durante toda a narrativa somos confrontados com a existência de A Casa da Seda, sabendo de antemão que será algo ilícito, envolvendo pessoas muito importantes e com os mais altos cargos em diversas áreas. Holmes solicita ajuda ao irmão mais velho (não sabia que Holmes tinha um irmão mais velho) que, após algumas perguntas acerca da Casa da Seda, aconselha-o a esquecer a investigação, no entanto Holmes sente-se culpabilizado pela morte da criança em questão e claro está, continua na sua demanda. Mais à frente Holmes desabafa com Watson que, meses antes, alguém lhe havia enviado uma fita de seda!

O livro dá diversas reviravoltas, somos confrontados com o humor muito peculiar da personagem de Sherlock Holmes que dá uma nota agridoce a todo o romance. Os desfechos, porque a meu ver existem dois desfechos, foram para mim totalmente surpreendentes, não estava à espera de forma alguma. Um deixou-me mal disposta, revoltada e embora surpreendente para a época, não deixa de ser atual... mais não digo, o outro deixou-me um sorriso maquiavélico no canto da boca!

Após a leitura e o total desconhecimento da obra de Arthur Conan Doyle, facilmente nos apercebemos por que motivo o presente livro obteve o reconhecimento por parte da Instituição que regula as obras de Conan Doyle.

Aconselho este livro a todos os fãs de Sherlock Holmes... bem como a todos os fãs do género policial! Uma excelente leitura!


Para mais informações sobre o livro A Casa da Seda clique aqui

2 comentários:

  1. Saiu numa altura excelente, no AXN às 4ªs, está a dar a 2ª temporada da serie Sherlock :-) Sou fã :-9

    ResponderEliminar
  2. Como já te tinha dito, que depois de ler diria alguma coisa, aqui fica o comentário que deixei no Goodreads ao livro:
    "Sou fã do Sherlock desde sempre e confesso que saber da existência deste livro levou-me a uma dualidade de pensamentos...
    Alguém escreveu um livro do Sherlock ? Mestria ou seria um desapontamento total???
    Depois li a opinião do Blog Cronicas de uma Leitora feita pela Claudia Le e soube que teria mesmo que ler...
    Sobre o livro...
    Sherlock ao seu estilo, reviravoltas que não esperava... Confesso que o meu "feeling" estava certo, apesa r de a meio do livro terá achado que estava errado...
    Só posso dizer que... Adorei !!!"

    ResponderEliminar