Crónicas de uma Leitora: "Os Homens que Odeiam as Mulheres", de Stieg Larsson - Opinião

terça-feira, 23 de outubro de 2012

"Os Homens que Odeiam as Mulheres", de Stieg Larsson - Opinião


Autor: Stieg Larsson
Edição/reimpressão: 2011
Páginas: 576
Editor: Oceanos

Sinopse:
O jornalista de economia MIKAEL BLOMKVIST precisa de uma pausa. Acabou de ser julgado por difamação ao financeiro HANS-ERIK WENNERSTÖM e condenado a três meses de prisão. Decide afastar-se temporariamente das suas funções na revista Millennium. Na mesma altura, é encarregado de uma missão invulgar. HENRIK VANGER, em tempos um dos mais importantes industriais da Suécia, quer que Mikael Blomkvist escreva a história da família Vanger. Mas é óbvio que a história da família é apenas uma capa para a verdadeira missão de Blomkvist: descobrir o que aconteceu à sobrinha-neta de Vanger, que desapareceu sem deixar rasto há quase quarenta anos. Algo que Henrik Vanger nunca pôde esquecer. Blomkvist aceita a missão com relutância e recorre à ajuda da jovem LISBETH SALANDER. Uma rapariga complicada, com tatuagens e piercings, mas também uma hacker de excepção. Juntos, Mikael Blomkvist e Lisbeth Salander mergulham no passado profundo da família Vanger e encontram uma história mais sombria e sangrenta do que jamais poderiam imaginar.

Opinião: 
Admito que não sabia muito bem o que esperar deste livro. Tinham-me dito que me iria deparar com um policial recheado com problemas políticos suecos, e eu não fazia ideia de como isso se iria relacionar com o título. Aliás, acho que foi o título do livro que mais me indignou enquanto não comecei a ler o livro, não só pela sua força, mas porque não revelava claramente a sua intenção. Agora, claro que tudo faz sentido. Depois da leitura, e depois dos dados estatísticos disponibilizados no livro, é fácil perceber que a Suécia é um país onde realmente existe ódio pelas mulheres.
Foi muito fácil embrenhar-me na leitura. Apesar de ser um livro com um tamanho considerável, li-o rapidamente, tal era a forma como Larsson me envolveu na história. Admito que a parte política me passou um pouco ao lado, pois é um tema do qual estou completamente de fora, mas felizmente o autor também foi bastante breve no que a isso tocou. Por isso, resultou um livro muito bem constituído e pouco convencional em comparação com os policiais que li até hoje. Senti-me até um pouco como se estivesse a ler algo escrito por Agatha Christie!
Não vou revelar pormenores da trama, mas posso dizer que é uma história em que acontece tudo aquilo que não estamos à espera. Começando pelo caso nunca resolvido do desaparecimento de Harriet, e terminando num crime de proporções horríveis, muita coisa me deixou boquiaberta. E, só para provar o ritmo frenético do livro, vejam que a mais de 100 páginas do final já estava resolvido aquele que eu pensava que era o ponto central da história! (Vá, para mim era mesmo o ponto central da história, porque como já disse, a parte política passou-me um pouco ao lado). E então, quando se faz essa descoberta, o autor mostra-nos que afinal andamos às voltas em busca de nada... 
O livro pode chocar em algumas partes, muitas delas protagonizadas por Lisbeth Salander. Foi nestas partes que realmente percebi porque é que o título se encaixava tão bem. Realmente, é difícil acreditar que coisas como as que são retratadas no livro possam acontecer num país que se diz civilizado! Juro que ao ler essas páginas o meu estômago se revolveu e não consegui deixar de sentir uma crescente revolta!
Concluindo, este é um livro genial. De leitura rápida, com uma trama espectacular, com um tema interessante e envolvente. Este é o livro que iniciou a era dos policiais suecos e mostrou muito do que anda mal na Suécia, o que valeu várias ameaças ao autor (e, quem sabe, a própria morte!). Estou desejosa de pegar no segundo volume e continuar a ler este excelente trabalho do autor.


1 comentário:

  1. Este é de facto um livro fantástico! Já li a trilogia toda e o volume seguinte também é genial ;)

    [O meu blog: howtoliveathousandlives.blogspot.pt]

    ResponderEliminar