Crónicas de uma Leitora: A Grande Revelação, de Julia Quinn [Opinião]

sexta-feira, 31 de janeiro de 2014

A Grande Revelação, de Julia Quinn [Opinião]

Sinopse:
O coração de Penelope Featherington sofre por Colin Bridgerton há... não pode ser!?? ...mais de dez anos? Sim, essa é a triste verdade. Dez anos de uma vida enfadonha, animada apenas por devaneios apaixonados. Dez ingénuos anos em que julga conhecer Colin na perfeição. Mal ela sabe que ele é muito (mesmo muito) mais do que aparenta... Cansado de ser visto como um mulherengo fútil, irritado por ver o seu nome surgir constantemente na coluna de mexericos de Lady Whistledown, Colin regressa a Londres após uma temporada no estrangeiro decidido a mudar as coisas. Mas a realidade (ou melhor, Penelope) vai surpreendê- lo... e de que maneira! Intimidado e atraído, Colin vai ter de perceber se ela é a sua maior ameaça ou o seu final feliz.

ps: este livro contém a chave do segredo mais bem guardado da sociedade londrina.




Eu adoro esta família, é sem dúvida a minha familia literária preferida e Julia Quinn sabe elevar a fasquia a cada livro novo. Confesso que de inicio fiquei desagradavelmente surpreendida pelo hiato de tempo que separa o 3.º do 4.º livro pois nos anos que se passaram Penelope Featherington e Eloise Bridgerton viraram solteironas de 28 anos. Mas depressa a autora se redimiu pois este livro está escrito de uma forma tão deliciosa que é dificil ficar-lhe indiferente.

Colin Brigderton tem no inicio da narrativa 33 anos, viaja compulsivamente passando apenas algumas temporadas em Londres com a família, sendo constantemente pressionado para casa. Desta forma começa a aproximar-se de Penelope de quem é amigo há vários anos.

É extremamente curioso ver um Colin que também se pode enfurecer, também pode ter arrebatamentos e alterações de humor, depois de o conhecermos como o divertido, simpático, sempre com uma palavra amigável é agradável esta mudança pois torna-o mais humano. Penelope também se mostra mais do que pensávamos, o que é claramente um bom sinal, amadureceu e está bastante mais senhora de si, tendo a sua desagradável mãe parado de importuná-la tão frequentemente e deixando-a livre para escolher as suas roupas, coisa que se tinha demonstrado um desastre nas épocas anteriores.

Neste livro sabemos também quem é a famosa Lady Whistledown e foi uma surpresa mas bastante agradável devo dizer, porém seria de prever que a identidade de tal dama seria descoberta rapidamente devido aos desenvolvimentos ocorridos.

Pontuado com um humor leve cheguei a dar valentes gargalhadas principalmente com o pedido de casamento e também com a reação da mãe de Penelope quando Colin vai falar com ela para pedir a mão da filha, foi sem dúvida um dos momentos mais engraçados.

Julia Quinn construiu uma familia deliciosa, de gente maravilhosa, cheia de principios e valores. As personagens vão ao longo dos livros se tornando mais interessantes, mais envolventes. A escrita da autora é tão fluida que vamos consumindo as páginas a uma velocidade assustadora, deixando-nos no fim uma sensação de vazio, pois queremos só mais um bocadinho desta gente encantadora.

Claro que agora espero (e desespero) pelo próximo livro que ainda levará uns bons meses a chegar às bancas. Vale a pena reforçar a ideia que sou fã? Sou mesmo...

1 comentário:

  1. aiiiii diaba!!!
    os saltos temporais deixam-me com o coração nas mãos :O
    Penelope, Penelope... 28 anos? OMG!

    ResponderEliminar