Crónicas de uma Leitora: Onde estás, Audrey? | Sophie Kinsella | Porto Editora | Opinião

sábado, 15 de outubro de 2016

Onde estás, Audrey? | Sophie Kinsella | Porto Editora | Opinião


Audrey é uma adolescente cheia de vida, igual a tantas outras. Com 14 anos, estuda, discute com os irmãos, sonha muito e confia cegamente nas amigas. Até ao dia em que essa confiança é destruída… Vê-se obrigada a deixar a escola. Sente-se incapaz de sair casa. E esconde-se irreversivelmente atrás de um par de óculos de sol. 


Então, conhece Linus, um rapaz de sorriso simpático e comentários divertidos, que parece ser o raio de sol de que Audrey precisava. 

E a jovem acaba por descobrir que, mesmo quando pensamos que estamos perdidos, o amor consegue sempre encontrar-nos…

 Onde estás, Audrey? foi o primeiro livro que li de Sophie Kinsella apesar de saber que a autora é mundialmente famosa pelos seus romances contemporâneos (nomeadamente Louca por Compras) nunca tinha tido muita curiosidade nos seus livros por ser um dos géneros que menos leio mas isso foi até saber da sua incursão no género romance young adult um dos que tenho lido quase compulsivamente há mais de um ano.

Sabendo que o estilo da autora foca-se na comédia estava curiosa para saber como iria pegar num tema tão delicado como o bullying e as consequências psicológicas das vítimas, fui surpreendida pela forma leve e descontraída como Kinsella o foi introduzindo e tratando ao longo da narrativa.

O bullying per se não é abordado de forma directa, percebemos desde o início que Audrey sofreu nas mãos de colegas porém como a narrativa é do seu ponto de vista e ela se recusa a voltar ao tema não sabemos ao certo tudo o que se passou mas sabemos as sequelas. Depois de uma depressão profunda e um internamento Audrey luta para se manter à tona, passa todo o tempo de óculos de sol, mesmo em casa, uma vez que sente dificuldade de olhar as pessoas nos olhos. A adolescente tem vários ataques de pânico e qualquer acontecimento fora da sua rotina pode desencadeá-los, nomeadamente as visitas de Linus ao seu irmão mais velho Frank. Depois de se aperceber que a assustou da primeira vez que se viram o rapaz tenta aproximar-se de Audrey, mas é algo que acontece muito lentamente devido aos problemas da jovem. Outra coisa que vamos vendo é o acompanhamento psicológico que a rapariga vai tendo e percebemos muito rapidamente como ela está a melhorar e a evoluir muito pelo facto de Linus vir alterar toda a sua rotina.

São livros como este que me faz adorar o género, pega-se em temas muito complicados, que num romance "para adultos" teria contornos mais duros e dá-se leveza suficiente para os adolescentes irem tomando conhecimento do que os rodeia, dos problemas e das soluções. Porém apesar da forma simples como os temas (bullying e depressão) são abordados Kinsella imprimiu-lhes a seriedade necessária para alertar os mais novos sobre estes problemas e como a sociedade e as suas pressões podem atingir qualquer pessoa, de qualquer idade e estrato social e que somos todos nós que temos a obrigação de parar com estes comportamentos mesquinhos que podem inclusive destruir a vida das vitimas.

Um livro 5 estrelas que deveria ser livro por todos os adolescentes e pelos adultos também uma vez que aqui também temos uma chamada de atenção para os pais dos agressores e dos agredidos, é necessário estar-se atento aos sinais. Recomendo a sua leitura a partir dos 12/13 anos.




Exemplar gentilmente cedido para opinião honesta

1 comentário:

  1. Ainda só li os da vertente coómica mas tenho curiosidade com este.

    ResponderEliminar