Crónicas de uma Leitora: Renascer das chamas| Susana Almeida | Review

segunda-feira, 26 de setembro de 2016

Renascer das chamas| Susana Almeida | Review

Renascer das chamas
Susana Almeida
100 páginas




Depois de tantas boas reviews, decidi ler o livro que a autora colocou de forma gratuita no Goodreads. Tive o 1º contacto com a autora quando ainda era publicada pela Saída de Emergência, num ambiente mais de fantasia medieval, mas esta noveleta prometia ser mais para o romance do que propriamente para a fantasia.

Eu estava à espera de um romance bonito. It did not happen. De notar que isto é uma noveleta - 100 páginas impressa, praí 87 em ebook, é MUITO pouco espaço para um romance mas como eu, Ruiva Manuela tenho lido imensas noveletas com romance à mistura e houve algo que notei que faltava na história em si - carisma e personalidade. Num espaço tão curto como 87 páginas, as personagens são chave. Não há muito espaço para desenvolver a história em 3 actos, temos o espaço limitado, certo? Não conseguimos criar uma história com tantos arcos em tão pouco espaço e nisso a autora esteve bem, não criou uma história complexa com subplots porque não dava tempo. Credit where is due, é preciso ter autocontrole para não irmos demasiado longe. 

No entanto as personagens mataram completamente a esperança de ler um bom romance. Não há química. Ponto. Porque as personagens são estereótipos e os diálogos previsíveis. Não há nada que não consigamos prever e quando isso acontece precisamos de algo para nos cativar. O Laerte é um tótó, a sério, ele faz as coisas não se sabe bem porquê, deixa tudo, sai da aldeia para salvar uma pessoa que nunca viu mais gorda sem motivo nenhum. I don’t know, o único papel dele é salvar a damsel in distress. E até nisso ele não é grande coisa. Wha? Ele não é um cavaleiro, não estavam á espera que fosse um karate kid! A Cecília só serve para ser violada e desmaiar. Gostei mais dela no 3º acto mas os danos já estavam feitos. Não tem muita personalidade para além de ser a vítima que precisa de ser salva... constantemente. O vilão é previsível e chato só sabe violar e fazer diálogos de vilão. Porquê? Porque é mau! Doh... 

O romance é muito Disney like e não há nada sequer que indique que é um romance sem ser as ultimas páginas, parece que foi lá enfiado meia à ultima da hora. 
- Ó Ruiva deixa de ser fatela! O moço arriscou tanto, eles mereciam ficar juntos!
Mas a sério, mereciam?? Porque eu consigo ver um final alternativo bem melhor que aquele onde ninguém fica com ninguém e ficava apenas um hero journey para salvar alguém. Não havia necessidade de romance, podiam muito bem ser apenas um salvamento que durou dias. Especialmente quando não há tensão nenhuma. O Laerte é demasiado respeitador para tentar algo e a Cecília está demasiado quebrada para tomar iniciativa, por isso acaba por ser simplesmente algo estranho e demasiado rápido.

Outra coisa que me enervou e eu mudaria se fosse editora era o reciclar de momentos no enredo. Existe demasiadas cenas a serem re-usadas que sinceramente irritam um bocado porque temos sensação de: really not again? Que gostaria de apelidar como vilão ex-machina. Sabem quando pensam que matam o vilão e depois ele volta e todos pensam: oh no, ele está vivo? Esse tipo de situações. Foi pena porque se houvesse um twist melhor talvez ficássemos mais satisfeitos.
Não se arriscou muito e até poderia funcionar se as personagens tivessem personalidades mais fortes e marcantes mas no fim acaba por ser simplesmente mais uma história de personagens de high fantasy com papéis demasiados rígidos. Algum humor e uma história menos trágica sem tempo para o ser teria sido mais wise. Mas then again a autora vai publicar agora por uma editora tradicional e pode ser que o trabalho com o editor se note uma evolução melhor. Estamos sempre a aprender e sempre a melhorar. Se eventualmente a autora quiser reeditar e republicar o livro é sempre bom ter algum feedback construtivo para melhorarmos.

Sem comentários:

Enviar um comentário