Crónicas de uma Leitora: Amor em Quarto Crescente | Sherrilyn Kenyon | Saída de Emergência | Opinião

quarta-feira, 31 de agosto de 2016

Amor em Quarto Crescente | Sherrilyn Kenyon | Saída de Emergência | Opinião



Fang Kattalakis não é apenas um mero lobo. É o irmão de dois dos mais poderosos membros do Omegrion: o concelho que rege as leis dos Predadores de Homens. E quando a guerra irrompe entre os licantropos, todos terão de escolher um lado e inimigos são forçados a aceitar frágeis alianças. Mas quando a mulher que Fang ama é acusada de trair o seu povo, a sua única esperança é que Fang acredite nela. Para a poder salvar, Fang terá de quebrar a lei da sua raça e virar as costas aos irmãos. Uma fratura que poderá ditar o fim de ambas as raças e mudar o mundo para sempre…


Sherrilyn Kenyon ainda consegue surpreender e inovar. São 17 livros em português (e tantos em inglês que perdi a conta) e por isso os tantos que já li da autora e continua a conseguir construir histórias assombrosas. Eu ainda estou a tentar perceber como é possível escrever desta maneira, Kenyon tem uma série com várias subséries tudo tão bem interligado com personagens tão diversas e tão bem construídas que cada livro é uma aventura.

Como disse este é o 17.º livro da série dark-hunters mas é também o 4.º da série were-hunters e o 1.º da série Hellchasers, muita coisa para acompanhar? Poderia parecer que sim mas curiosamente Kenyon faz com que tudo seja fácil de entender e assimilar.

Outro aspecto que nos faz adorar esta autora é a forma como ela consegue cruzar as histórias dos vários livros, em Amor em Quarto Crescente vemos "passar" por nós "Jogos na Noite" (a história do irmão de Fang, Vane e a humana Bride) e "À Solta na Noite" (que nos fala de Wren e Marguerite). Resumindo, estes livros poderiam ser uma salganhada de informação mas na verdade é uma das melhores (ou será mesmo a melhor?) séries que já li.

A história de Fang é absolutamente surpreendente e dá origem a uma nova série (Hellchasers) onde ficamos a conhecer um novo conjunto de personagens. Mas voltando ao nosso Lobo, Fang tem uma força interior muito maior do que poderíamos pensar à partida.

Pensei que à partida o mais interessante seria a explosiva relação de Fang e Aimee principalmente com tantas proibições e dificuldades que enfrentam e sabendo que é "impossível" ficarem juntos, porém enganei-me. A relação deles e a forma como interagem é fenomenal, não me interpretem erroneamente, porém há tantos elementos por onde pegar neste livro que acabamos por ver a acção como um todo. Os inimigos, os aliados, os katagaria e os arcadianos e a juntar a tudo isto os Hellchasers que ainda nem sequer conseguimos classificar. A presença constante do nosso Ash fazendo sempre a ligação entre as várias  séries é um docinho que não podemos deixar passar.

Não há muito a dizer relativamente à escrita da autora, em 17 livros publicados em Portugal já mostrou o que vale e como é excelente no que faz e em Amor em Quarto Crescente não é exceção. Mais uma vez deixa os leitores a salivar pelas personagens e claro que nos deixa com padrões muito elevados para a vida (hahahahaha joking guys, just joking).

Poderia recomendar esta série mas acho que a qualidade desta fala por si, não se pode deixar de acompanhar o trabalho de Kenyon.



Exemplar gentilmente cedido pela editora para opinião

Sem comentários:

Enviar um comentário