Crónicas de uma Leitora: Iberanime 2016 | A minha experiência

terça-feira, 10 de maio de 2016

Iberanime 2016 | A minha experiência



Tive a oportunidade de ir ao Iberanime 2016 no domingo e levar comigo a irmã mais nova (16 anos) e a filha mais velha (14 anos). Apesar de gostar de ver animes não vejo tantos como gostaria e claro que aquilo que sei de cultura japonesa dava para encher apenas meia página, é mesmo muito pouco porém estava muito curiosa e ansiosa de ver um tipo de evento destes. As miúdas essas estavam eufóricas e seria dizer pouco mas a euforia acabou pouco depois de entrarmos. 

O dia começou demasiado cedo para um domingo, 7h da manhã estávamos a pé e às 9h10 estávamos na fila e se à nossa frente tínhamos muita gente para trás a quantidade de pessoas chegava a ser assustadora. Quase duas horas ali de pé e já tínhamos dores por todo o lado mas o entusiasmo era muito e superava tudo.
Foto: Mais Educativa
Para entrar nem foi muito mau, a fila de início mal andava mas depois até foi bastante rápido e antes das 11h estávamos lá dentro e aí é que as nossas expectativas começaram a cair. Nunca tínhamos estado dentro do Meo Arena e sentimo-nos completamente perdidas, não encontrámos um mapa para nos orientar, o fluxo de gente era muito grande para a quantidade de pessoal existente e acabámos por seguir com a multidão. 
Sessão de autógrafos de Reika no sábado

Logo na entrada estava a Embaixada do Japão com uma mini exposição de casas e pratos típicos seguiam-se várias bancas umas mais interessantes que outras e ficámos a apreciar a arte nos vários expositores.

Entrando no espaço propriamente dito é que ficámos assustadas, a quantidade de pessoas era tanta que nem sabíamos por onde nos virar. Lá andámos a tentar ver os stands que estavam espalhados pelo espaço que se demonstrou demasiado pequeno para os milhares de pessoas que ali estavam em alguns stands foi mesmo impossível chegarmos perto porque o cerco era tão grande e tão forte que a menos que desatássemos à porrada não dava para chegar, principalmente o stand com bebidas e doces asiáticos (alguns dos quais já provámos na Tokyo Treat). Os stands eram maioritariamente de mershandinsing (t-shirts e sweats; posters; porta-chaves, Pins (ou crachás como quiserem chamar); havia de mangás (como o stand d'A Casa da BD ou da DEVIR) e ainda stands mistos como a Kingpin Books. Aproveitámos para conhecer pessoalmente a Sandra da Kawaii Panda que tinha um stand de fazer babar, cheio de coisinhas maravilhosas. 
Foto: Próximo Nível
Enfim a oferta até era bastante boa, muito diversa mas era impossível andar um passo sem bater em 10 pessoas diferentes o que se tornava muito complicado conseguirmos ver tudo como deve ser.

Tínhamos ainda os palcos onde decorriam actividades, acho que deram demasiado espaço ao gamming, o espaço ocupado para quem queria ver o torneio de LOL era muito grande, havia demasiadas cadeiras que se fossem retiradas dava para muito mais gente em pé o que aliviava a passagem naquele corredor, mas isto é apenas a minha opinião que como não sou fã do jogo acho que deram demasiado destaque e demasiado espaço tirando algum protagonismo a outras coisas.

Tive muita dificuldade em chegar perto dos palcos pelo que acabámos por ir para as bancadas descansar e ver o que se passava lá em baixo. Depois de almoço foi muito pior, decidimos dar uma última volta antes de irmos para casa, desistimos de ficar à espera do concerto dos Blasted Mechanism porque não aguentávamos mais o cansaço, e não conseguimos dar uma volta completa ao recinto porque a enchente foi avassaladora e se de manhã a cada passo batíamos em 10 pessoas nessa altura parecia que batíamos em 50, não conseguíamos ver nada, virar para lado nenhum, entrámos num stress total e acabámos por ir embora.

Foto: Próximo Nível
Não quero que pensem que não gostámos, a experiência foi toda muito interessante, porém acho que o evento foi mal coordenado, venderam demasiados bilhetes porque não dava para andar lá, se houvesse algum problema mais grave (como um incêndio por exemplo) as pessoas sairiam em debandada e seria uma desgraça. O facto de haver milhares de pessoas fazendo verdadeiras concentrações nos stands levaram com certeza a muitos roubos, um deles vi eu (porém sem certezas) vi um crachá/pin ser passado e depois desapareceu, não percebi se já estava pago mas quase de certeza que não, nem sequer deu para denunciar porque a forma como a multidão se movia não dava espaço de manobra. Felizmente apesar da maioria das pessoas serem bastante novas não havia muitas crianças.

O ponto alto do nosso dia foi ver os cosplayers, andámos encantadas a ver esta e aquela personagem retratadas na perfeição, queria muito tirar fotos mas tive vergonha de pedir, eu sei que eles acediam alegremente mas as miúdas não queriam e eu sentia-me esquisita a pedir e foi sem dúvida uma coisa fantástica de se ver e consegui (para grande alegria minha) identificar vários cosplays.

Como não consegui tirar fotos, retirei algumas do facebook mas estão todas devidamente identificadas e linkadas para quem quiser ver as restantes fotos dos albuns.


1 comentário:

  1. A última foto da cosplayer - eu conheço-a ehehe.
    Eu estive presente no iberanime no sábado, e concordo estava mesmo cheio de gente. Contudo, fiquei até ao fim e dei varias voltas ao recinto e lá consegui ver mais ou menos tudo!
    Mas já estou muito habituada a este tipo de eventos!
    Beijinhos,

    http://chocopink89.blogspot.pt/

    ResponderEliminar