Crónicas de uma Leitora: Televisão | Recomendações | Ficção Histórica

terça-feira, 26 de abril de 2016

Televisão | Recomendações | Ficção Histórica

"Quando um amor acaba, os fracos choram, os eficientes imediatamente procuram outro, e os sensatos já têm um na reserva". Assim o disse Oscar Wilde e permitam-me que concorde com ele. No entanto, não se assustem; o post de hoje não vai ser transformado no consultório sentimental. Venho, sim, falar-vos daqueles amores fictícios, daquelas séries de televisão que nos acompanharam durante anos, às quais dedicamos muito do nosso tempo e carinho, e das quais queremos sempre mais e mais mesmo após terem chegado ao fim.

Por isso, e porque entendo perfeitamente esse sentimento, trago-vos alguma recomendações que vos permitirão manterem-se imersos em certos universos nem que seja por apenas mais uma horas. Esta semana vou dedicar-me a Ficção Histórica, um dos meus géneros favoritos. Algo me diz que se gostaram das séries que vou mencionar, irão também apreciar os livros que vou sugerir...E vice-versa, claro. Sem mais demoras, passemos então à lista!




Uma das séries de maior sucesso dos últimos anos, Downton Abbey chegou ao fim este ano... Assim sendo, se quiserem matar um pouco as saudades que esta vai deixar, recomendo que leiam O Casamento do Ano, de Laura Lee Guhrke. Toda a sua trilogia Abandoned At The Altar seria uma boa alternativa, mas só o primeiro livro se encontra traduzido em português. No entanto, se forem do tipo de leitor que se sente à vontade a ler em inglês, aconselho a leitura dos três livros. Deixo-vos também a sugestão de A Última Duquesa, de Daisy Goodwin.


The Borgias terminou há já uns anos, mas continua a ser até hoje uma das minhas séries históricas favoritas. Se, à minha semelhança, eram fãs de The Borgias e querem revisitar esse universo, a minha recomendação recai sobre A Noiva Bórgia, de Jeanne Kalogridis. Caso estejam interessados em algo dito mais intelectual, fica ainda outra sugestão: A Filha do Papa, de Daria Fo, vencedor do Prémio Nobel da Literatura. Para quem leia em inglês, fica ainda outra dica: Blood & Beauty, de Sarah Dunant, uma das minhas autores favoritas dentro do género histórico.



Ah, piratas, piratas... Quem não gosta de uma boa aventura com eles? Black Sails promete manter-se nas nossas telelivisões por pelo menos mais uma temporada, mas o gigantesco hiatus de um ano até ao seu regresso em 2017 vai ser difícil para muita gente. Se fazem parte desse grupo, porque não darem uma oportunidade a A Pirata, de Hugo N. Gerstl?  É um livro praticamente desconhecido, mas ainda assim um excelente livro. Se ainda estiveram na dúvida, um autor com provas dadas internacionalmente é Michael Crichton. A minha sugestão recai sobre Em Território Pirata. Se gostam dos vossos piratas com um pouco de fantasia à mistura e leêm em inglês, recomenda então The Assassin's Curse e The Pirate's Wish, de Cassandra Rose Clarke.



Poucas séries até hoje me daram tanto gosto em ver quanto Spartacus. É recorrente, aliás, que sinto a vontade de rever temporadas inteiras de uma assentada só. No entanto, nem sempre o tempo livre permite loucuras dessas; mas ler um livro leva menos tempo e foi isso que fiz vezes sem conta para aplacar os meus desejos de mais Spartacus. Uma opção fantástica para tal é ler A Saga da Águia, de Simon Scarrow, em particular Gladiador. Este autor é brilhante no que toca a épicas aventuras no período do Império Romano. No entanto, se estiverem à procura de uma história que envolva efectivamente Spartacus, a minha recomendação terá que ser The Gladiator e Rebellion, de Ben Kane. Se, por outro lado, preferirem algo menos ficcionado, fica ainda a sugestão de que deêm uma vista de olhos a The Spartacus War, de Barry Strauss.


E claro que não poderiamos falar de Império Romano sem mencionar também a série de culto que foi Rome. Se têm saudades de verem esta série nos vossos televisores, permitam-me que vos apresente aquele que é, para mim, o autor de excelência no que toca a esta temática: Steven Saylor. Todos os seus livros são fantásticos, na minha opinião, mas a narrativa de Sangue Romano é-me particularmente apelativa. Se forem já leitores assíduos deste autor e queiram algo um pouco diferente, sugiro a leitura de O Primeiro Homem de Roma, de Colleen McCullough. Para os leitores que prefiram algo em inglês, fica a recomendação da série The Empress of Rome, de Kate Quinn, inciada em Mistress of Rome.




O período histórico dominado pela Dinastia Tudor continua a atrair e fascinar inúmeras pessoas por todo o mundo, em todas as gerações... Eu própria incluída. Não é de admirar, portanto, que The Tudors se mantenha até hoje na lista das minhas séries favoritas. Não é de admirar também que seja um dos períodos históricos sobre os quais mais gosto de ler. Se durante imenso tempo Philippa Gregory foi o nome reinante no que toca a romance centrados nesta época, hoje em dia a minha preferência recai sobre C. W. Gortner. E que sorte temos que os seus livros já estejam a ser publicados em Portugal! A sua trilogia The Spymaster Chronicles é fantástica e eu recomendo-a vivamente. Comecem com O Segredo dos Tudor e sigam caminho com A Conspiração do Tudor, terminando com A Vingança dos Tudor. Se preferirem ler em inglês, a minha sugestão terá que ser The Queen's Promise, de Lyn Andrews.



Contemporânea à dinastia Tudor em Inglaterra, temos a dinastia Stuart na Escócia... A rivalidade entre Mary e Elizabeth é lendária e Reign traz-nos essa história numa versão mais ligeira e um tanto ou quanto alternativa, com um pouco de magia e sobrenatural à mistura. Para fãs desta série, terei sem dúvida que recomendar a leitura da trilogia Ordem das Trevas, de Philippa Gregory, que se inicia em Predestinado. Se, pelo contrário, preferem algo que envolva mesmo Mary Stuart e Elizabeth Tudor, terei então que sugerir A Outra Rainha, também da autoria de Philippa Gregory. Para quem leia em inglês, nada será melhor para quem seja fã desta série do que a leitura de The Wild Queen, de Carolyn Meyer.



Que levante a mão quem daqui morre de amores por Jamie e Claire! Vocês não me conseguem ver, mas do outro lado do computador eu estou constantemente de mão no ar... A segunda temporada desta série está neste momento a ser transmitida nos Estados Unidos e em breve chegará aos ecrãs portugueses também, mas assim que os episódios terminarem lá começará aquela terrível coisa à qual decidiram chamar hiatus; e se esse período serve para alguma coisa, é para descobrir novas e adoradas histórias. Uma das minhas mais recentes descobertas foi a série Wilderness, de Sara Donati, cujo o primeiro livro é Into the Wilderness. É uma opção tão boa para fãs de Outlander, aliás, que a própria Diana Gabaldon a recomenda. Infelizmente as particularidades de Outlander tornam difícil encontrar livros do mesmo género no reduzido catálogo português, mas um romance tão arrebatador quanto o de Jamie e Claire e que não vão querer perder pode ser encontrado nas páginas de Flores na Tempestade, de Laura Kinsale; sem dúvida um dos meus livros favoritos de sempre. E se, pelo contrário, a vossa predilecção se prende com o aspecto da viagem no tempo, permitam-me que vos sugira Kindred, de Octavia Butler.



Foram daquelas pessoas que, como eu, sabiam que não iam querer perder The Bible a partir do momento em que souberam que Diogo Morgado iriam interpretar Jesus Cristo? Bem, nem que não tenham sido, a verdade é que este período histórico nos traz algumas histórias fascinantes. A história de Maria Madalena é uma das que mais curiosidade sempre me despertou e ler A Paixão de Maria Madalena, de Margaret George, foi um prazer, não fosse esta autora uma das minhas favoritas no género histórico. Uma obra excelente obra para quem goste desta época é, sem dúvida, The Red Tent, de Anita Diamant; este livro teve, aliás, a sua própria adaptação a série de televisão pelas mãos do canal Lifetime em 2014.



E claramente não poderia terminar uma lista sobre ficção história sem mencionar o meu período favorito: Antigo Egipto. Os fascínio por esta época histórica é algo que me lembro de ter desde sempre e recentemente Tut proporcionou umas quantas horas de entertenimento dentro desse universo. Se também viram e gostaram, tenho que vos recomendar que leiam A Rainha Sol, de Christian Jacq. Aliás, qualquer livro que Christian Jacq escreva, especialmente sobre o Antigo Egipto, tem o meu total selo de aprovação! Uma outra boa opção de leitura para apreciadores deste tema é a série Ancient Egypt, de Wilbur Smith, que tem início no livro O Deus do Rio. E, para finalizar, deixo então mais uma sugestão de leitura em inglês: Daughter of the Gods, de Stephanie Thorton.

E assim me despeço por agora... Boas leituras e boas vizualizações!

Sem comentários:

Enviar um comentário