Crónicas de uma Leitora: Um Duque Glorioso | Sarah MacLean | Opinião

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2016

Um Duque Glorioso | Sarah MacLean | Opinião





Um Duque Glorioso
Sarah MacLean
Tradução: Andreia Mendonça
Título Original: No Good Duke Goes Unpunished
Editora: TopSeller
364 páginas












Ela arruinou-o e abandonou-o.

Mas agora está de volta. Irá ele apaixonar-se de novo?

Há doze anos, William Morrow era Marquês de Chapin e herdeiro do ducado de Lamont. Mas, depois de ser injustamente acusado de matar Mara, passaram a chama-lhe o Duque Assassino.

Libertado por falta de provas, William mudou o nome para Temple, e reina hoje sobre os recantos obscuros de Londres como um dos sócios do Anjo Caído, o clube de jogo mais famoso da cidade.

Quando Mara regressa inesperadamente do mundo dos «mortos», devolve-lhe a tão desejada esperança de absolvição. Só que Mara esconde um segredo cruel: ela regressou apenas para poder salvar o próprio irmão da ruína do jogo, e o que oferece a Temple não é mais do que uma chantagem disfarçada de redenção.

Temple irá precisar de todas as suas forças para resistir à tentação de se apaixonar por esta mulher que lhe roubou tudo no passado, e que parece disposta a arriscar tudo em nome da família. Mas será que a própria Mara conseguirá fugir ao caminho do amor verdadeiro?


Terceiro livro da série The Rules of Scoundrels, no total de quatro. Para quem ainda não começou a série, irei dar umas "luzes" sobre ela sem revelar demasiado. Esta baseia-se em quatro sócios, em quatro amigos, que se juntaram depois de caírem em desgraça e abriram um clube de jogos d'Anjo Caído, um "antro respeitável" entre a alta elite inglesa naquela época. Repudiados, afastados e alguns na miséria, eles eram e por ordem dos livros publicados, Michael o Marquês de Bourne, Cross o Conde de Harlow, Temple o Duque de Lamont and mysterious Chase.
E é entre jogos, cartas, roletas e festas, que se desenrola esta série, onde cada protagonista procura a sua vingança, a sua redenção, o seu perdão, a paz, a felicidade e o amor.
Sabem quando pegam num livro, falo do primeiro, vão sem expectativas mas no fim fica rendidas à série, às personagens, à autora... Pois bem, estou completamente rendida a esta autora, autora que espero que a TopSeller continue a publicar mesmo com a finalização desta série.
Ah!! Dou já a informação, já que a editora respondeu à pergunta que lhe fiz, que o último, o livro do mysterious Chase está previsto ser editado no Verão.

O livro, a estória... Dos 3 livros que li de Sarah MacLean, este pode ser o mais controverso de todos, ao chegar a uma determinada fase do mesmo, perguntei-me se a autora não podia ter criado uma personagem feminina com mais defeitos humanos, claro que não tinha todos mas tinha alguns que nos fazem ficar deveras chateada com ela. Não vou entrar na estória, para isso tem que ler o livro mas Mara é uma personagem complexa, das três... Todas... Ou gostamos dela, ou odiamos, ou gostamos, odiamos e compreendemos. Estranho não? É... É uma personagens que nos pode levar ao extremo de a odiar, de a compreender, de sentir pena e até de gostar dela em terminados momentos. Eu senti tudo.
Mara é impertinente, é uma personagem que se algo "mau" referente à sua pessoa fosse dito por ela, não haveria problemas mas se fosse apontado, atirado "à cara" por outros, já não gostava. Era tanto um ditado que uso... "Faz o que eu digo, não faças o que eu faço".
Mentiu, omitiu, vendeu mas no fim, deixou-se levar depois dos dados estarem lançados, podia ter resolvido as coisas antes? Sim. Os fins não justificam os meios? Não mas... Também era forte, destemida e muito independente, se tinha mais defeitos que qualidades? A resposta cabe a cada leitor.  

Temple... Ele é menos "culpado" mas também não é inocente, acho que neste livro ninguém é santo, ninguém está livre de ter culpa de alguma coisa. Se Mara "vendeu", ele "comprou e usou". Ok, podemos dizer que estava no seu direito e estava, tinha toda a legitimidade de procurar a sua vingança, o limpar do seu nome porém utilizando as palavras do próprio... "A vingança nem sempre procede conforme o esperado".
Gostei tanto dele, deste homem grande, forte mas com um coração do tamanho do mundo. 
O engraçado nesta estória é que nem o próprio Chase que se mete em tudo, esteve bem... Cometeu um pequeno "erro", mas no alto da sua inteligência e intuição fez bem em cometer o "erro", pois Temple não estava preparado para... Vamos lá ler o livro.

Termino a recomendar esta série, termino a recomendar esta autora, termino com uma nota de "desespero", pois queria ter o quarto livro e só estará nas minhas mãos no Verão... Vão compreender o por quê, quando lerem Um Duque Glorioso e chegarem aos 2 últimos parágrafos... Não vale espreitar antes...

Boas leituras...


1 comentário:

  1. Ainda bem que me avisas e que ainda não peguei em nenhum desta série sem querer! Assim vou me segurar até ao verão para depois ler tudo de uma vez! Mas com esta opinião não facilitas te nada a espera!!! Ainda por cima com personagens femininas e masculinas como estas, que são das minhas preferidas.
    Gabo te o jeito de espicaçares o pessoal, contares a história mas não fazer spoilers! Eheh
    A única coisa que não gostei foi mesmo do "glorioso" no título. É impressão minha ou é meio "brasileirado"? Ou então sou eu que só ando a ler em pt-br.

    ResponderEliminar