Crónicas de uma Leitora: DUFF A Amiga Feia e Gorda | Kody Keplinger | Editorial Presença | Opinião

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2016

DUFF A Amiga Feia e Gorda | Kody Keplinger | Editorial Presença | Opinião



Apesar de não ser a rapariga mais gira do Secundário, Bianca Piper é espirituosa, inteligente e tem um grupo de verdadeiras amigas com o qual se diverte e sonha com rapazes.
Bianca nunca pensaria em envolver-se com Wesley, o rapaz mais popular da escola, muito menos depois de este lhe dizer que ela é A Amiga Feia e Gorda e que serve apenas para realçar a beleza das outras.
No entanto, a sua vida familiar desmorona-se, o que a atira para uma espiral de tristeza e insegurança. Nisto, dá por si a beijar Wesley.
Os dois veem-se enredados numa relação de amor-ódio que tinha tudo para correr mal, mas que inesperadamente pode dar frutos…

Este é o livro que inspirou o filme The Duff.





Para mais informações ou para adquirir o livro, clique AQUI

 Esta foi a segunda vez que li The DUFF, a primeira vez foi o ebook em inglês no verão passado e assim que se apresentou a hipótese de o ler na minha língua não hesitei porque sempre que leio em inglês fico com a sensação que me escapou qualquer coisa e aproveitei para tirar as teimas. Afinal não me escapou nada e o livro é tão bom como eu pensei da primeira vez e uma das coisas que mais me surpreendeu (e agora com a releitura pude verificar isso) foi perceber que a autora aos 17 anos, idade com que escreveu este livro, já tinha uma grande maturidade. É certo que é um livro de uma jovem, sobre jovens e para jovens mas está excelentemente escrito e faz querer ler mais da autora, aliás espero ler brevemente LOL Lying out Loud que está dentro do mesmo universo que The DUFF.

Quanto a este livro propriamente dito há tanto para dizer. Antes de mais acho que o livro está excelentemente enquadrado no ambiente estudantil dos Estados Unidos dando-nos uma visão bastante fiel, isto porque provavelmente Keplinger estava no liceu quando escreveu o livro e tudo à sua volta poderia servir de inspiração. Bianca é uma personagem muito interessante, inteligente mas cínica não acredita no amor adolescente porém quando a vida dela fica completamente virada do avesso atira-se de cabeça numa relação puramente física e completamente secreta com o mulherengo do liceu. Lidando com os seus problemas de forma errada, acaba por afastar as amigas e fica viciada no torpor do esquecimento que os momentos íntimos com Wesley a fazem sentir. Apesar de termos algum drama adolescente à mistura não estamos perante um livro que nos faça ir buscar os lenços, muito devido à personalidade ácida de Bianca mas também pelas tiradas irónicas e tolas de Wesley que é muito mais do que parece à primeira vista. É verdade que é um mulherengo, rótulo que não o incomoda minimamente mas o facto de não se "agarrar" a ninguém durante muito tempo é, como acabamos por perceber, uma forma de se proteger também. Apesar do sorriso fácil e dos comentários tarados Wesley não tem a profundidade de um pires e acaba por mostrar que se preocupa mais com as pessoas (com Bianca e com Amy) do que parece. 

O rótulo DUFF (Designated Ugly Fat Friend) ou "A Amiga Feia e Gorda" acaba por ser algo não tão descabido como poderíamos pensar à primeira vista, afinal todas as raparigas acham as amigas mais bonitas, mais jeitosas, mais inteligentes, mais qualquer coisa que acham que elas não têm mas julgo que faz parte, não é inveja é mesmo gostarmos tanto das nossas amigas que vemos nelas qualidades que achamos que não as possuímos, principalmente quando se é uma adolescente.

A escrita de Keplinger é muito simples, rápida de se ler e bastante envolvente e a única coisa que poderia melhorar este livro e fazer-me dar-lhe 5 em vez de 4 estrelas era se tivessemos o POV do Wesley porque acho que ele tem muito mais do que o que vimos e seria interessante  lermos o lado dele da história. De resto adorei e dei 4 estrelas das duas vezes que o li.

Vou só deixar um comentário final sobre o filme. Depois de ter lido o ebook fui tentar ver o filme, digo tentar porque não passei dos 20 minutos a desilusão foi enorme devido às imensas alterações que houve na história. Desde a situação familiar de Bianca ao seu relacionamento com Wesley é tudo completamente diferente e fiquei muito desiludida desistindo de o ver. Talvez o faça no futuro. Outro livro que aconteceu o mesmo foi com Austenland (também publicado pela Editorial Presença com o título Austenlândia) adorei a história, as personagens, tudo foi espectacular depois o filme parecia uma paródia do enredo original e fiquei muito decepcionada. Nunca entenderei como é que os autores deixam que façam este tipo de coisas com as adaptações e pergunto-me muitas vezes até onde eles terão uma palavra a dizer porque pegam em livros espectaculares e fazem filmes péssimos. Então aconselho a lerem o livro e não verem o filme (o conselho serve para ambos) ou então vejam só depois de se terem esquecido completamente da história.



Este exemplar foi gentilmente cedido pela Editorial Presença em troca de uma opinião honesta.

1 comentário:

  1. Acabei agora de ler e concordo contigo, acho que se poderia ter explorado um pouco mais a história do Wesley Rush. O filme conseguiu mudar tudo de uma forma descabida...
    Beijinhos, Bea

    ResponderEliminar