Crónicas de uma Leitora: Mangas&Anime | Tokyo Ghoul | Opinião

quinta-feira, 31 de dezembro de 2015

Mangas&Anime | Tokyo Ghoul | Opinião

Parece que após dois anos Tokyo Ghoul chegou ao fim *com um final que não entendi bem o que implica* por isso deduzo que irá haver uma segunda parte *por favor que haja*
Eu ando com uma preguiça enorme por isso vou escrever uma opinião dos 14 volumes *como faço normalmente* Enfim…
Tokyo Ghoul é um dos poucos mangas que me faz ficar totalmente viciada na história, pelas personagens, pela história em si e pelo traço. Para além de ter um traço fantástico!! Ishida Sui entrou sem duvida para os meus mangakas preferidos, e com estas capas *lindas*

“If you were to write a story with me in the lead role, it would certainly be… a tragedy” 

Toda a gente diz que os humanos estão no topo da cadeia alimentar, mas sabe-se actualmente que isso não é verdade. Ghoul estão no topo porque eles alimentam-se apenas de humanos, é o seu único alimento, para além de café, sabe-se lá porquê.
Claro que o mundo sabe da sua existência, o que foi um ponto positivo na história, e por isso mesmo criaram o CCG, uma organização especializada no combate aos Ghoul e sua investigação, que não olham a meio para atingir fins no que toca a matança.
Mas nem tudo é assim tão malévolo, e tal como os humanos, nem todos os ghouls são maus. Especialmente os do café Anteiku, que está aberto ao público, e que querem apenas conviver no mundo e ter uma vida normal, obviamente que escondem o lado ghoul dos clientes, mas é só porque tem mesmo de ser.
Entre os que comem humanos livremente há uma rapariga que parece ter uma fome constante e que mata quase tantos humanos num dia que não se importa de deixar um rasto de mortes por onde passa.
Kaneki está apaixonado por esta rapariga, sem conhecer que ela é um ghoul, e ainda por cima lê os mesmo livros que ele. Mas não passa de uma armadilha e Kaneki só o percebe depois de a levar a casa, que fica num beco *claro* e lhe retira um órgão. No entanto e para felicidade de Kaneki *ou não* um monte de vigas cai sobre ela matando-a, ou assim parece. No entanto Kaneki é levado para o hospital e salvo com um transplante de orgãos, sim, sim da rapariga, o médico na altura e sem qualquer autorização faz-lo e cria algo que ninguém sabia ser possível.
Um meio-humano, meio-ghoul. O que é estranho, mas pelos vistos é possível. A vida de Kaneki dá então uma volta que ele não estava preparado. A comida não lhe sabe como de costume e é extremamente complicado ingerir seja o que for, até os hambúrgueres que ele tanto devorava não lhe passam da boca. Até ao dia que ia pela rua a noite e cheira-lhe a comidinha da mãe algo que não cheirava a muito tempo *porque os pais morreram* mas é um cheiro delicioso que ele segue-o com todas as forças… até achar um cadáver. *eu ri-me muito, coitado*
E fica então a conhecer Touka e o Manager, o velhote do café, que o ajudam *apesar de Touka ser contra* a sobreviver no mundo dos Ghoul. Segundo Touka, o mundo ou é de uns ou é de outros, não há espaço para metades * o que foi cruel*.
Mas Kaneki facilmente aprende a sobreviver, alimentar-se é que por vezes é um problema. E se perguntam o que é feito dos humanos para eles, é fácil basta saber onde é que se suicidam, pois há humanos que não tem tanto amor a vida e decidem acabar com ela.
Uma coisa especifica dos ghouls para além dos seus olhos é a Kagune, Kakugan ou a Quinque. Basicamente é algo que todos tem e que sai do corpo deles para os proteger ou atacar, é algo das células deles e que vai desenvolvendo conforme a força e melhora com a alimentação. Apesar do mangá não ter com ela é descrita como vermelha, o que faz sentido porque vem do corpo e tem ligações ao sangue. São flexíveis e controláveis pelo “dono” e podem tornar-se duras como o músculo. Claramente os Ghouls regeneram depressa, no entanto se estas feridas forem feitas por outro kagune irão demorar muito mais tempo. O que será normal porque a CCG quando captura ghoul não é para outra coisa além de lhes retirar o Kagune para uso próprio! *quem é cruel agora?* E depois há tantos tipos de Kagune e cada um especializado em alguma coisa.

“Strong people are such pitiable people. Always having to fight for the sake of someone else.”

A história *felizmente* não tem momentos mortos, desenvolve ao longo de 14 volumes sempre com algo novo e importante para a continuação.  Tal como a história principal, como as secundárias.
Kaneki torna-se forte e tem como desejo proteger todos aqueles que ama, especialmente quem não tem força para tal.
E no final fiquei um pouco surpresa porque é que ficou assim, o que me dá a entender que provavelmente Ishida vai fazer uma série nova sobre isto, eu estou mesmo a espera disso. Porque de outra forma não faz sentido.
Ah e eu queria um desenvolvimento para Touka e Kaneki *só porque sim hii*


Um post original de RaquelCollin
                                      


Sem comentários:

Enviar um comentário