Crónicas de uma Leitora: Eve e as Trevas | Sylvia Day | Opinião

segunda-feira, 21 de setembro de 2015

Eve e as Trevas | Sylvia Day | Opinião

Num mundo onde os demónios podem estar ao virar da esquina, a poderosa e sensual Eve leva-nos numa aventura vibrante e provocadora, de cortar a respiração e deixar os sentidos em brasa.

Para Evangeline Holis, aquilo que parecia ser apenas uma aventura com um mau rapaz acabou por se transformar num desastre de proporções bíblicas. Uma noite com o misterioso homem vestido de cabedal foi quanto bastou para a punição divina: a Marca de Caim.
Presa num mundo onde os pecadores são recrutados para matar os demónios, Eve tem pouco tempo para se adaptar. Agnóstica desde sempre, ela vê-se obrigada a uma série de manobras na burocracia celestial onde passa a ser um valioso mas maltratado peão. Eve passa também a ser mais um ponto de discórdia num dos mais antigos casos de rivalidade familiar da História…
Mas para já, ela está mais preocupada em matar para se manter viva e salvar a alma que nem ela própria sabia ter.
Amaldiçoada por Deus, perseguida pelos demónios, desejada por Caim e Abel… tudo num só dia.
Quando vi que esta trilogia ia sair fiquei muito receosa, fiquei bastante "queimada" com outra série sobrenatural da autora e não sabia bem o que ia encontrar. Por outro lado sendo Sylvia Day conhecida pela sua série erótica temia que de alguma maneira Eve e as Trevas seguisse pelo mesmo caminho, não que não goste de um pouco de sexo no meio de tanta acção mas tinha medo que não houvesse um balanço saudável dos temas abordados.

Gostei de ver que temos uma protagonista que não atura qualquer treta, que não se deixa levar pelo que lhe dizem e gosta de ver e pesquisar por ela própria, não é uma criatura acéfala que faz tudo o que lhe mandam. Tem um sentido de auto-preservação um pouco distorcido mas ao mesmo tempo é o género de pessoa que se é mandada para a frente do combate não foge como uma donzela em perigo à espera que o ser sobrenatural por quem está apaixonada se chegue à frente qual cavaleiro andante. Aliás a própria relação de Eve e Caim é um pouco estranha, ela gosta dele e sente uma atracção enorme por ele, adora a forma como ele a adora mas por outro lado sente necessidade de colocar uma certa distância entre eles.

Caim é um personagem que não sei bem como o caracterizar, estamos perante uma personagem bíblica o que é algo de proporções épicas. Nunca antes tinha visto esta abordagem nos livros de romance paranormal, estamos habituados a anjos, demónios etc mas ver as personagens da Bíblia ganharem vida é transcendente. Apesar de Caim não ser exactamente o que vemos no livro sagrado parece-me que faltou algo na sua essência, não consegui perceber bem como se encantou tanto com Eve num curto espaço de tempo e a forma como se envolveram não fez grande sentido. A relação dele com Abel deveria ter sido mais aprofundada, percebemos o ódio que os separa mas não entendemos bem como chegámos lá, sabemos que na Bíblia Caim matou Abel mas sendo esta uma versão ligeiramente diferente da original esperava que houvesse mais desenvolvimentos.

Também Abel foi uma personagem pouco explorada, pelo menos na parte que toca a Eve, não conseguimos entender como os dois irmãos chegam novamente ao ponto de lutar até à morte por uma mulher que surge na vida deles. Algumas questão ficaram sem resposta mas espero que a autora consiga responder ao longo dos outros livros, não deixando espaços em branco.

Eu gostei bastante deste livro e acho que doseia bastante bem a acção, o lado mais pessoal da vida de Eve e até o sexo, está excelentemente escrito. Sylvia Day conseguiu prender o leitor e mostrar-nos o início de uma trilogia que promete ser bombástica com uma heroína badass sem papas na língua e que não atura nada de ninguém. Porém julgo que havia alguns aspectos a serem melhorados e que pode de alguma forma deixar alguns leitores à espera de mais. 


Um livro com um ritmo alucinante desde a primeira página, aliás o que foi aquele prólogo? E o final? Tudo em aberto deixando-nos a salivar pelo segundo porque temos mesmo de saber o que foi que aconteceu. Ainda bem que já o tenho ali porque preciso de o ler urgentemente.






Este exemplar foi gentilmente cedido pela 5 Sentidos/Porto Editora em troca de uma opinião honesta

Sem comentários:

Enviar um comentário