Crónicas de uma Leitora: O Mar Infinito | Rick Yancey | Opinião

quinta-feira, 30 de julho de 2015

O Mar Infinito | Rick Yancey | Opinião

É a derradeira batalha entre a vida e a morte, a esperança e o desespero, o ódio e o amor.

A Terra foi invadida por extraterrestres - os Outros -, que têm como único objectivo o extermínio de toda a população do planeta. Sem aviso, lançaram quatro vagas de destruição que devastaram parte da humanidade. Cassie Sullivan e os seus companheiros contam-se entre os poucos que sobreviveram.

Agora, com a espécie humana quase extinta e com uma quinta vaga em marcha, os jovens têm de tomar uma decisão crucial: enfrentar o duro inverno e ficar à espera que Evan Walter regresse, ou partir à procura de mais sobreviventes antes que o inimigo se aproxime demasiado - porque o próximo ataque é mais do que possível, é inevitável. Ninguém é capaz de prever até onde os Outros podem descer, nem estes sabem o quanto a humanidade se pode erguer.

O Mar Infinito é o segundo volume da trilogia A 5.ª Vaga.

Para mais informações ou para adquirir O Mar Infinito, clique aqui
 A 5.ª Vaga foi assim um daqueles livros absolutamente fantásticos que me deixou em ansiosa pelo volume seguinte, na altura não havia sequer a sua publicação no original se não estou enganada e fiquei com a certeza que seria um dos melhores livros do ano, e foi! O Mar Infinito será um dos melhores lidos de 2015, não tenho qualquer dúvida e mais uma vez me faltam palavras para descrever a espectacularidade de Rick Yancey.

Confesso-me uma leitora fácil de agradar, geralmente dou tiros certeiros e gosto bastante dos livros que escolho mas há alguns que por qualquer motivo nos deixam num estado meio alucinado. Quando recebi o livro fiquei uns bons minutos a olhar para ele, a capa é simplesmente linda e a textura é fabulosa, dei por mim a passar a mão porque a textura emborrachada é diferente de qualquer outro livro na minha estante (excepto A 5.ª Vaga, claro) mas o tamanho surpreendeu-me, esperava um livro maior já que o primeiro tem cerca de 400 e este tem apenas 272. Tive medo que algo falhasse neste volume, depois de uma história tão grande e complexa como é que me chegava à mão uma continuação tão pequena. Já devia ter aprendido que não deveria julgar um livro sem o ler primeiro.

Dividido em partes, temos várias perspectivas e algumas incursões ao passado, veremos Ringer a contar boa parte da narrativa o que nos trás uma nova visão do enredo, ela será parte fundamental em tudo o que irá acontecer pois acaba por ter um destaque maior que Cassie, que fica um pouco mais apagada. De inicio foi difícil entrar no livro, em primeiro porque não sabemos quem a está a narrar (talvez devesse haver logo de inicio essa indicação) e depois porque um ano depois a história não estava fresca na minha cabeça, acabei por ir reler as últimas páginas d'A 5.ª Vaga para relembrar alguns detalhes.

Vemos no nosso grupo, almas torturadas, mesmo os mais novos, os horrores que viveram destruiu qualquer coisa dentro de cada um deles mas não lhes quebrou o espírito. É difícil explicar quão alucinante, perturbador e fascinante este livro é. A acção é constante e tão intensa que conseguimos visualizar muitas das cenas na perfeição, vivemos cada uma dela como se fossemos nós de tão bem escritas que estão. Cada nova informação que nos é cedida ficamos a saber mais mas a perceber menos, quem são estes extraterrestres e porque nos estão a exterminar desta maneira? Não teriam uma forma mais eficaz e menos "suja" de o fazer? E quanto mais respostas temos mais perguntas fazemos. Ao aproximar-nos da recta final ficamos estarrecidos com a percepção da verdade.

Talvez algumas coisas não tenham sido tão boas como no primeiro livro, a dificuldade em diferenciar a "voz" de cada narrador foi uma dela, além de que faltou um pouco de romance, se bem que com o movimento constante e tanta coisa a acontecer era difícil as personagens focarem-se em algo que não era prioritário, mas de resto Yancey conseguiu arrebatar-me, fiquei completamente agarrada à leitura. 

Quer seja pela rapidez da acção, pelo fluir da narrativa ou pelos momentos chave que vão dando novo ênfase à leitura o certo é que O Mar Infinito é um daqueles livros que nos choca com a mesma intensidade que nos apaixona. 






Este exemplar foi gentilmente cedido pela Editorial Presença em troca de uma opinião honesta.

Sem comentários:

Enviar um comentário