Crónicas de uma Leitora: FSOG | Diário de uma Leitura Indesejada #2

domingo, 15 de fevereiro de 2015

FSOG | Diário de uma Leitura Indesejada #2

Este diário daqui a uns dias vai assemelhar-se ao Diário de uma Dieta, conhecem a anedota? Cliquem aqui para verem. É que tudo o que eu li até agora dá vontade de soltar uma sonora gargalhada ou bater com a cabeça na parede, preferencialmente a da Anastasia, a minha não que doi.
 
Pra começo de conversa o jornal da universidade tem uma falta de profissionalismo gritante, pergunto-me se só lá está a Kate a fazer tudo porque porra!!! se a palerma da Ana não tem nada a ver com o jornal que é uma actividade extra-curricular da amiga e a entrevista foi marcada com 9 meses de antecedência, então aquela gente não organizou as coisas para o caso da jornalista principal ficar de alguma forma incapacitada de realizar a entrevista??? É que nem há explicação nenhuma para a Anastasia acorrer ao pedido da amiga como se fosse a coisa mais normal do mundo sendo ela introvertida, tímida e uma desgraça a nível social e não sendo absolutamente nada para o raio do jornal.

(Resumindo a história verdadeira seria: Kate adoece, alguém do jornal a substitui e Anastasia nunca conhece Grey, o fim.)

E pergunto-me como é possível as duas serem companheiras de casa e melhores amigas e a Ana não ter sequer conhecimento da entrevista com mais antecedência? O normal seria Kate ter contado tudo sobre como foi dificil marcar esta entrevista e como o Grey é rico e famoso e novo etc e nos dias antecedentes ter-se-ia mostrado excitada e teria falado do homem pelos cotovelos, quer dizer eu acharia normal se ela fizesse isso. Que raio de amizade é esta que nem partilham coisas simples?

Então lá vai a tonhó entrevistar o magnata do qual ela não sabe absolutamente nada!!!!!! (carrega nos pontos de exclamação Vera pra mostrares o quanto te sentes indignada - esta é a minha voz interior a mandar-me fazer coisas estranhas) Como é que ela aceita ir fazer um trabalho sobre o qual não sabe um c*? (E sem esquecer que tem imenso que fazer e estudar visto os exames finais estão à porta, mas que é que isso interessa...) Não sabe quem ele é, que idade tem, o que é que a empresa dele faz, NADA! Chegada ao edifício ela é recebida por 3 loiras, lindas, maravilhosas e competentíssimas, todas excelentemente vestidas e com um ar super profissional. O meu primeiro pensamento foi "foge daí Ana, isso é uma empresa de clonagem e tu não encaixas" tão mas que raio? nesta empresa só se admitem loiras jeitosas, vai mudar esse aspecto ranhoso ou processa essa gente por te fazer sentir deslocada (eles têm dinheiro, quem sabe sacas algum para um extreme makeover).

É que é super normal ela ir entrevistar quem não conhece, numa empresa que nunca ouviu falar, com um cabelo que deu um trabalhão que ela nem o conseguiu arranjar (isto deve ser do mais anormal que pode existir como se não houvesse produtos, pentes e penteados que de alguma maneira a pudessem favorecer) com uma roupa mundana, nem uma porcaria de uma maquilhagemzita, era o minimo pá, o minimo. Respira, Vera, respira.

As duas coisas a reter desta entrevista é: assim que ela entra cai com as fuças no chão (é mesmo assim miuda, cai logo aos pés dele) 


e o facto de ela perguntar se ele é gay,
 porque é bastante normal numa entrevista profissional para o jornal da faculdade perguntar a orientação sexual do entrevistado.

WTG Kate! És cá uma jornalista de primeira estampa (NOT!). Ainda bem que preparaste as pergunta para a tua amiga, cá pra mim fingiste a gripe porque tinhas demasiada vergonha da tua incompetência e mandaste lá a trenga.

Passam-se uns dias e uma série de coisas desinteressantes e conhecemos o melhor amigo que é todo bom mas que ela não se sente minimamente atraída (tu tens problemas miúda, tens!).

Até que por artes mágicas Christian aparece subita e milagrosamente na loja que a palerma trabalha e OMG ela não é só tonhó, é completamente desequilibrada e infantil. Ela cora tantas vezes que se levasse logo assim umas quantas chapadonas na tromba nem ficaria marca.

 É que ela passa o tempo TODO! todo a sério, a dizer como não consegue olhar para ele (oh meu!!! se eu visse um gajo todo bom como o Grey a última coisa que quereria fazer era desviar o olhar, há que lavar as vistas) com tanta vergonha e "ai a voz dele é tão sexy e deixa lá pensar bem onde estou a por os pés senão ainda caio de novo" a sério pessoal, a sério que vontade de dar-lhe logo uma voadora.

Para ajudar à festa o irmão do patrão dela, que também é universitário, vai lá todo cheio de à-vontade e convida-a para sair, ou seja 20 páginas de livro e já há 3 gajos bem parecidos atraídos pela aventesma e dois deles já há 4 anos. Quer dizer?!?!?!

que raio é que os gajos vêem nela que lhes caem aos pés e ela nem sabe o que fazer com eles? A James consegue criar uma personagem completamente desinteressante pela qual dois tipos andam a babar à imenso tempo e não satisfeita atirou mais um a ver se é desta que ela acorda.

É que ou vai ou racha, ela já devia ter levado uns tabefes é que com 20 e poucos anos e é a primeira vez que se sente atraída por alguém? Já devias ter ido ao psicólogo rapariga, as miúdas começam a reparar em rapazes logo no inicio da adolescência como é que nunca te sentiste atraída por nenhum?  E, olhem que hilariante, ele oferece-se para fazer uma sessão fotográfica ficando ela de ligar se arranjar um fotógrafo e só por acaso o melhor amigo dela é fotógrafo e ela nem por uma vez pensou nele, pelo amor da santa, get a grip!!! Vê lá se acordas para a vida parvalhona, abre os olhos! Jeez, isto cansa...



Note to self: Tomar calmantes antes de retomar a leitura, tou a ficar violenta...

Sem comentários:

Enviar um comentário