Crónicas de uma Leitora: 9 semanas e meia | Opinião | Cinema

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015

9 semanas e meia | Opinião | Cinema

Elizabeth, uma inteligente e sofisticada mulher, conhece John.
Ela, que até então detinha total controlo de si própria, deixa agora que a enigmática personalidade deste estranho a envolva numa relação de intensa e extrema sensualidade... uma relação que descarrila num pesadelo erótico de fantasia e domínio.
Rapidamente Elizabeth percebe que tem de escolher entre o seu desejo e... a sua sanidade.


Eu vi este filme no dia que estreou nos cinemas 50 sombras de Grey, sei lá, senti-me masoquista e... chorei! Não lágrimas verdadeiras porque essas até pareciam mal mas internamente, senti inclusive alguns neurónios a suicidarem-se enquanto me perguntavam "porquêêêêê???".Foi uma tortura, meus amigos, uma tortura.

Se li o livro? Não! Eu nem nunca quis ver o filme, não sei o que me passou pela cabeça mas gente eu sofri. Para começar as sobrancelhas de Kim Basinger são tão loiras que parecem inexistentes dando-lhe um ar assustadoramente alienigena o que convenhamos não é nada sexy (e ela era uma mulher sexy!!!). Uma interpretação sofrível, Elizabeth é uma personagem completamente sem sal nem pimenta, não há ali ponta que se lhe pegue mas de vez em quando lá tem um rasgo de inteligência quando se opõe a algumas das muitas perversões de John. 

Depois o Mickey Rourke é um homem que me faz chorar lágrimas de sangue só de pensar nele. Oh pá!!! Ele era sexy, um sorriso malandro (olhem a imagem!!!) e vejam só no que ele se transformou (não, não vejam, terão pesadelos), poderia ter envelhecido tão bem cof*Johnny Depp*cof... Bem o John é um dominador abusivo e que faz entrar a coitadinha da Elizabeth numa série de jogos sexuais que nem ela sabia que os queria, ah esta tendência masculina de saber exactamente o que a gente quer mesmo que a gente pense que não quer, muitas vezes porém excede todos limites. E nem o facto dele ser um milionário super sexy o safa.

Logo no inicio percebe-se que ele a vigia e quando ela se "porta mal" decide castigá-la, ela não aceita qualquer castigo, pega nas coisas dela pra se ir embora mas volta atrás para lhe dar um estalo, envolvem-se numa luta e ele viola-a... sim aquilo é violação não há outro nome a dar-lhe. E por aí vai com ele a tentar forçá-la a jogos que ela não quer. Ele não tem qualquer interesse em conhecer os amigos dela ou em estar com ela junto de outras pessoas.

Não senti química absolutamente nenhuma entre o casal, as actuações são ocas e as cenas, céus!!! as cenas, nem tenho explicação, ora estão juntos, ora ela está no trabalho, parece que quando filmaram atiraram as cenas ao ar e foram colocadas onde calhavam, a história é fraca e nem as cenas eróticas a safam.

Não gostei, senti-me não só desiludida como questionei-me muitas vezes como raio isto pôde ser tão falado na altura, mas pensando bem daqui a 30 anos vai haver pessoal a gritar de horror perante FSOG por isso...
Então parece que cumpri o meu objectivo de me martirizar com um mau filme, sofri horrores e não me senti melhor quando acabou porque afinal, as coisas vistas não podem ser "desvistas".

3 comentários:

  1. O objetivo é mesmo esse, acho. Li o livro e marcou-me imenso porque é bem mais realista do que as tais 50 sombras... Ambas as personagens femininas estão na mesma situação mas apenas 9 semanas e meia tem um final realista, acho. Aliás acho que o livro é algo autobiográfico.

    ResponderEliminar
  2. Oi! Que análise divertida, se bem que a minha percepção do filme (que vi teria uns 14/15 anos) foi outra; na altura, marcou-me a permissividade da personagem feminina, que só percebi inteiramente qd li o livro, há umas semanas; este filme é mais leve, o livro bem mais sombrio (e é autobiográfico, sim, slayra).

    Qto ao Mickey, inacreditável como era e como foi; aqui é que se vê como era engraçado, agora está um susto! :D

    Qto às Sombras, talvez veja o filme, mas o livro nem pensar em ler! ^^

    ResponderEliminar
  3. Esqueci de mencionar uma cena que poderia parecer "fofa" mas que na verdade apenas mostra quem John realmente é, depois da refeição ela diz que lava os pratos e a resposta dele é que ele lava os pratos, ele cozinha, ele escolhe a roupa dela, isso não é romântico é ele a exercer controle total sobre a vida dela, até quando lhe compra roupa ela pergunta se ele não vai perguntar se ela gostou e a resposta é simples "Não".
    O final foi sem dúvida o melhor porque mostra uma mulher forte que acaba de vez com a pressão que sentia naquela relação.

    Em relação às Sombras tou a ler o livro e a fazer um diário, se quiserem acompanhar :)

    ResponderEliminar