Crónicas de uma Leitora: Puros de Julianna Baggott [Opinião]

segunda-feira, 3 de novembro de 2014

Puros de Julianna Baggott [Opinião]

Sinopse: Depois de uma série de detonações atómicas destinadas a exterminar grande parte da Humanidade, apenas uma pequena elite de puros deveria ter sobrevivido, protegida dentro da Cúpula até que a Terra se regenerasse por completo. Mas não foi isso que aconteceu... Muitos foram os que sobreviveram às explosões, deformados, com mutações terríveis, refugiados entre as ruínas da cidade, num clima de opressão por parte da milícia entretanto formada, que os aterroriza e explora.

Pressia Belze é uma jovem de 16 anos, uma mutante que tenta fugir à milícia; Partridge é um rapaz da elite, um Puro atormentado pela suspeita de que um plano secreto está a ser desenvolvido pela elite científica da Cúpula. Numa terra devastada, os caminhos destes dois jovens acabam por se cruzar, dois sobreviventes em busca de um futuro menos sombrio, que nem desconfiam do laço secreto que os une…

Puros é o volume de estreia de uma notável trilogia cuja ação se passa num cenário pós-apocalíptico absolutamente dantesco e é também uma história de amor.



Puros de Julianna Baggott é um livro dentro da categoria distopia para jovens adultos publicado pela Editorial Presença que conta uma história de destruição e busca que nos leva para um mundo pós-apocalíptico absolutamente chocante. A capa é de uma beleza tão grande que não nos faz imaginar os horrores que encontraremos nas suas páginas e a verdade é que comecei a ler este livro em julho mas não consegui chegar às 40 páginas lidas, no final de outubro decidi dar-lhe uma nova oportunidade e fui sugada para dentro desta estória que me deixou suspensa entre a aflição e a curiosidade.

A narrativa, sempre na terceira pessoa, vai dando destaque a personagens diferentes ao longo dos capítulos, principalmente a Pressia e a Partridge, fazendo-nos ter conhecimento de todo o ambiente que os envolve, a rapariga com deformações fora da Cúpula e o rapaz um Puro que cresceu dentro da Cúpula. Quando o caminho de ambos se cruza sabemos que nada será igual pois acabam por se unir numa demanda que os fará descobrir as coisas mais extraodinárias.

Confesso que a minha maior dificuldade nesta leitura foram as descrições de como as pessoas se fundiram aquando das detonações, mostrando-nos um cenário horrendo, deformidades assustadoras e não pude deixar de pensar como o ser humano é de facto cruel e como são capazes das maiores atrocidades em guerras cujo "vencedor" não pode sair impune de actos de uma fealdade de caracter tão grande. Relembramos ao longo da leitura aquilo que sabemos acerca de Hiroshima e Nagasaki aquando do lançamento das bombas atómicas durante a 2.ª guerra mundial bem como o acidente nuclear em Chernobyl em meados dos anos 80, fazendo-nos crer que o cenário dantesco que a autora nos apresenta é uma fusão de ambos agravados ao máximo.

Mas esta obra não nos mostra apenas um mundo de destruição e horror, somos também apresentados a estórias de sobrevivência, amizade, amor, união e a uma luta e garra desmedida por parte das personagens sendo que aqui ninguém é um simples peão, há papeis fundamentais em todos eles levando a uma fusão perfeita entre o imperfeito e o perfeito, a fealdade e a beleza, o mau e o bom. Não há personagens fracas todos eles lutam por algo pelos melhores ou piores motivos.

Pressia, Partridge e Bradwell partem numa demanda que os une e nos mostra que são personagens excelentemente caracterizadas, com uma força inimaginável os três farão descobertas avassaladoras que poderão mudar o curso dos eventos.

Não consigo recomendar este livro de ânimo leve aos mais novos, é preciso uma certa maturidade para compreender todas as nuances que este livro nos transmite contudo aos amantes de distopias, de histórias com cenários improváveis de horror e destruição, com personagens bem construidas aconselho-o vivamente. E se por acaso tiverem alguma dificuldade em "entrar" na leitura, insistam porque acreditem que não conseguirão parar de tão viciante que se torna.

1 comentário:

  1. Olá. Boa descrição do livro, se torna viciante mesmo, tanto que logo que terminei sua leitura já procurei o livro 2 da série e fique decepcionada ao saber que ainda não foi publicado em português... Você sabe quando ele será lançado?

    ResponderEliminar