Crónicas de uma Leitora: Noite Silenciosa de Sherrilyn Kenyon [Opinião]

domingo, 16 de novembro de 2014

Noite Silenciosa de Sherrilyn Kenyon [Opinião]

Sinopse

No mundo dos Predadores da Noite, o inferno está prestes a chegar…

Stryker já avisou que está a reunir as suas forças. Enquanto o mundo avança inconsciente, Stryker, que lidera um exército de demónios e vampiros, conspira para lançar uma ofensiva contra os seus inimigos — que, infelizmente para nós, incluem toda a raça humana.

Para vingar a sua irmã, Stryker prepara-se para aniquilar os Predadores da Noite. Mas as coisas começam a correr mal quando o seu inimigo mais antigo regressa. Eis que chega a sua ex-mulher, Zephyra. Precisamente quando achava que nada o poderia parar, vê-se embrenhado numa guerra secular com uma mulher que dá um novo significado à palavra «dor».

Estão a ser traçadas novas linhas de batalha, enquanto os Predadores da Noite se reúnem para uma novo confronto, numa NOITE SILENCIOSA.



Esta autora deixa qualquer pessoa siderada, é fenomenal a sua capacidade de nos surpreender, de mudar o rumo à história e de nos deixar agarrados aos seus livros. Tudo aquilo que tinhamos como certo nos primeiros livros há muito se alterou. Os "maus" afinal não são totalmente maus, os seus motivos acabam por ser ligeiramente aceitáveis, afinal quem quer uma morte agonizante aos 27 anos deixando a nossa familia a sofrer por nós? Acabamos por entender certos factos que de inicio achávamos intoleráveis e aproximamo-nos de personagens que julgávamos impossível. Nunca deixaremos de amar aqueles que nos cativaram desde o inicio apenas nos abrimos aos outros que por uma ou outra razão nos tocam o coração.

Stryker é uma daquelas personagens, bad to the bones só que não, entendem? Ele não é assim tão mau como parecia de inicio e neste livro acabamos por nos aperceber do muito que o atormenta, as mortes dos filhos, a perda da primeira e unica mulher que amou, o ódio mais que compreensível que sente pelo pai, Apolo simplesmente é uma personagem egocêntrica e odiosa que parece não ter amor a ninguém, a forma como tratou Strikerius foi abominável levando o filho a unir-se a Apollymi.

Zephyra é uma mulher quebrada mas uma guerreira, com um único amor no coração, é letal e também ela tem motivos para o ódio. Junto com Stryker os dois irão compreender os motivos que os levou ao divórcio.

Aquilo que mais me surpreendeu foi a bondade na maldade destes dois, ou direi a maldade na bondade? Não sei bem classificar, sei que os fins justificaram os meios e apercebemo-nos de muitas atitudes condenáveis de ambos não só um contra o outro mas dos dois contra terceiros. (Peço desculpa por não poder desenvolver mas seria um enorme spoiler).

Vamos conhecendo também outras personagens e percebendo as suas motivações, ainda há muito por desvendar e a autora consegue manter-nos agarrados a esta saga pela forma como consegue manipular a informação que vai dando, tapando algumas lacunas e abrindo outras. Com personagens viciantes, histórias comoventes e uma escrita fluida e simples esta é uma saga que não se consegue parar de ler.

Sem comentários:

Enviar um comentário