Crónicas de uma Leitora: [Autor do mês] A Primeira Regra dos Feiticeiros - Parte I de Terry Goodkind [Opinião]

segunda-feira, 17 de novembro de 2014

[Autor do mês] A Primeira Regra dos Feiticeiros - Parte I de Terry Goodkind [Opinião]

 


Sinopse
Richard Cypher é um jovem guia em Hartland, à procura de respostas para o assassinato brutal do pai. Na floresta onde se refugia, encontra uma mulher misteriosa, Kahlan Amnell, que precisa da sua ajuda para fugir aos sequazes do temível Darken Rahl, governante de D’Hara, praticante da mais temível magia negra e um homem ávido por vingança.

Num golpe de verdadeira magia, Richard passa a deter nas suas mãos o destino de três nações e, sobretudo, da própria humanidade. O seu mundo, as suas crenças e a sua própria essência serão abalados e testados, à medida que Richard lida com amigos e inimigos, com a crueldade extrema e a compaixão dedicada, experimentando a paixão, o amor e a raiva, e o seu impacto na missão que lhe é imposta: ser aquele que procura a verdade. 
 
Para mais informações consulte o site da Porto Editora, clicando aqui
A Primeira Regra dos Feiticeiros - Parte I do autor Terry Goodkind e que foi publicado pela Porto Editora corresponde a cerca de metade do primeiro livro da saga A Espada da Verdade que se encontra dentro do género fantasia épica. A ação situa-se num tempo longuinquo entre três terras, a Terra Ocidental desprovida de qualquer tipo de magia, a Terra Oriental e D'Hara ambas com magia tanto entre os habitantes como as criaturas que o habitam.
 
Richard Cypher é um guarda florestal da Terra Ocidental, cujo pai  foi assassinado semanas antes do inicio da história e o irmão mais velho Michael acaba de ocupar uma posição de relevo na sociedade. Depara-se com Kahlan salvando-a de um ataque de uma quadrilha tornando-se amigo desta. A rapariga acabada de chegar da Terra Oriental, é detentora de um título considerado assustador para todos pelo tipo de magia que carrega porém decide esconder esse facto de Richard. Muitas outras personagens vão entrando na história tendo todas elas um papel de suma importância, trazendo conhecimento e sabedoria ao guarda florestal que ele irá usar numa luta que se revelará crucial para a vida de todos os habitantes das três terras.

Correndo o risco de escrever demasiado acerca da história, até porque a mesma se vai agarrando a nós deixando-nos viciados na narrativa prefiro não contar mais sobre as personagens, a tentação de ir desenvolvendo certos aspectos levaria a contar alguns acontecimentos importante que tirariam o prazer da leitura. Devo porém dizer que acho as personagens interessantes e ricamente construída, todas com segredos importantes que deverão ser relevados a seu tempo.

Esta obra está repleta de descrições que enriquecem bastante a narrativa mas que também se podem tornar um pouco maçadoras, compreendo que para o leitor conseguir apreender todo o ambiente criado seja necessário muitos detalhes só que por vezes acabamos por divagar quando nos deparamos com cenas que acabam por não trazer nada de novo à história. Os acontecimentos apesar de serem bastantes acabam por demorar bastante a acontecer, demorando a desenvolver o que torna a ação um pouco morosa.

Uma escrita densa e complexa, onde abundam as personagens e as descrições, com a construção de um mundo tenebroso que nos maravilha com a sua beleza e nos assusta com o mal com que nos deparamos. De qualquer forma, confesso que adorei, foi uma leitura que demorou vários dias mas que me foi deixando viciada ao ponto de se tornar quase impossível largar este mundo tão diferente do que conhecemos. Deixem-me dizer-vos que de momento estou embrenhada neste mundo tendo lido (hoje) cerca de 150 página da segunda parte deste livro. Já estou a desejar que a Porto Editora não nos faça esperar muito pelo próximo.

Sem comentários:

Enviar um comentário