Crónicas de uma Leitora: "Quando o ódio matar" de Carina Bergfeldt [Opinião]

sexta-feira, 17 de outubro de 2014

"Quando o ódio matar" de Carina Bergfeldt [Opinião]



Para mais informações sobre o livro clique aqui

Sinopse:
"Os amantes do thriller e do policial não podem perder.
Com grande minúcia, uma mulher planeia a morte da pessoa que converteu a sua vida num inferno, o pai. O macabro plano toma forma num bloco-notas em que a capa tem umas apetitosas madalenas. Uma nota no frigorífico com as palavras: «Matar o papá» recorda-lhe qual o motor que impulsiona agora a sua vida.
Enquanto o plano parricida avança, é encontrado o cadáver de uma mulher num lago da cidade de Skövde; tudo aponta para uma morte violenta. A inspectora Anna Eiler trabalha no caso, mas não é a única: duas jornalistas locais, Ing-Marie Andersson e Julia Almliden, realizam a sua própria investigação.
As três têm razões pessoais para resolver o assassínio, as três escondem algo, mas só uma delas é capaz de preparar a sangue-frio um crime mais atroz do que aquele que pretende resolver.
Não conseguirá parar de ler até descobrir de qual das três se trata!"



Começo por elogiar a Planeta pela belíssima capa deste livro, atrativa e apelativa, dificilmente passamos por ela sem lhe pegar com curiosidade. A autora abordou um tema que não é muito comum, a par de uma investigação por homicídio, a violência psicológica. 

A narrativa intercala as perspectivas das jornalistas, da policia e da mulher mistério que decidiu matar o pai. Desde o início da leitura que nos apercebemos que cada uma destas 3 mulheres tem os seus fantasmas, mas não são as únicas, uma vez que investigam um caso de homicídio de uma mulher que meses antes fora dada como desaparecida. A par da investigação criminal, a mulher mistério vai recordado o passado e reviver momentos que a levaram á decisão que tomou de "Matar o papá".

O mistério por detrás das personagens, o facto de os capítulos serem pequenos e com perspectivas alternadas e uma narrativa fluida ajuda a que a sua leitura decorra numa velocidade vertiginosa. Desde o inicio que a leitura prende-nos ao enredo, tentando descobrir mais sobre aquelas mulheres e a resolver o homicídio. A única falha que encontro neste livro é o facto da policia ter um papel demasiado passivo em toda a história e as jornalistas serem as principais investigadoras. 
 
É um livro arrepiante, um thriller psicológico de uma violência brutal, que  simultaneamente explora uma investigação policial por homicídio. Recomendo a sua leitra a todos os amantes de thrillers psicológicos, aos amantes de policiais.

Sem comentários:

Enviar um comentário