Crónicas de uma Leitora: "Adultério" de Paulo Coelho [Opinião]

sexta-feira, 10 de outubro de 2014

"Adultério" de Paulo Coelho [Opinião]


Para mais informações clique aqui


Sinopse
Uma mulher, casada, mãe de dois filhos, e jornalista de carreira, começa a questionar a rotina e a previsibilidade dos seus dias. Ao olhos de todos, tem uma vida perfeita: um casamento sólido e estável, um marido dedicado, filhos alegres e felizes, um trabalho que a faz sentir-se realizada. Contudo, já não é capaz de suportar o esforço necessário para fingir que é feliz, quando a única coisa que sente pela vida é uma enorme apatia. Tudo muda quanto reencontra, acidentalmente, um antigo namorado da sua adolescência. Quando se reencontram, desperta nela uma inesperada e violenta paixão, e fará tudo o que seja preciso para conquistar esse amor impossível.



Sempre fui fã confessa de Paulo Coelho, desde os meus 16  anos que sigo avidamente as suas obras e apesar das diversas fases da escrita do autor, com maior ou menor intensidade sempre gostei dos seus livros e dos diversos registos, quer seja a parte espiritual quer seja a parte "terrena".

Pela primeira vez em tantos anos, após ler a sinopse deste livro, não fui a correr comprá-lo, algo não batia certo, mas tive a oportunidade de adquiri-lo em segunda mão por um preço fantástico e nem pensei duas vezes.

O livro conta-nos a história de Linda, uma mulher afortunada, que vive na Suiça, casada com um homem rico, mãe de 2 filhos lindos e perfeitos, com uma carreira jornalística  no auge, que após uma entrevista a um escritor que lhe diz que não tinha interesse em viver feliz mas sim apaixonado, começa a questionar a sua vida. Linda descobre um vazio aparentemente sem motivo, que se assemelha a uma depressão, mas não consegue entender o porquê uma vez que tem tudo. Entra numa viagem interior de redescoberta dos prazeres da vida e começa a trair o  homem que diz amar com um ex-namorado e proeminente figura politica do país.

Para não revelar muito desta história, mas como alerta a todos os leitores, Paulo Coelho justifica através desta personagem que a traição sexual/amorosa pode servir de redescoberta da paixão de um casal. Na minha opinião as personagens são muito superficiais, a moral da história é imoral, e a única semelhança com os livros que tanto prazer me deram ao longos dos anos é a poucas páginas do fim, numa alusão á comunhão com a natureza e com o mundo espiritual, em que momentaneamente há uma conexão e o Eu passa a ser o Todo e o Todo passa a ser o Eu.

Resumindo e concluindo, detestei a leitura, foi penosa e lenta, tive sempre esperança que algo fizesse sentido, mas página após página só encontrei desilusão. Para mim foi um ponto final ao autor (a não ser que num próximo livro a sinopse me arrebate). Não recomendo a sua leitura a ninguém.

Sem comentários:

Enviar um comentário