Crónicas de uma Leitora: Legend de Marie Lu [Opinião]

sábado, 23 de agosto de 2014

Legend de Marie Lu [Opinião]

Sinopse: 
Outrora conhecida como a costa ocidental dos Estados Unidos, a República é agora uma nação em guerra permanente com as vizinhas, as Colónias. Nascida numa família de elite num dos distritos mais abastados da República, June, aos quinze anos, é um prodígio militar. Obediente, entusiasmada e dedicada ao seu país, está a ser aperfeiçoada para fazer parte dos círculos mais elevados da República.
Nascido num dos bairros de lata do Setor Lake da República, Day, também com quinze anos, é o criminoso mais procurado da República. Mas talvez os seus motivos não sejam tão maliciosos quanto parecem. Pertencendo a mundos muito diferentes, não há motivo algum para que os caminhos de June e Day se cruzem - até ao dia em que o irmão de June, Metias, é assassinado, e Day se torna o principal suspeito.
Agora, apanhado no derradeiro jogo do gato e do rato, Day corre pela sobrevivência da sua família, enquanto June tenta desesperadamente vingar a morte do irmão. Contudo, numa reviravolta chocante, os dois descobrem a verdade daquilo que verdadeiramente os levou a encontrarem-se, e a que ponto a nação de ambos está disposta a chegar para manter os seus segredos. Repleto de ação imparável, suspense e romance, o fascinante primeiro romance de Marie Lu irá certamente comover e arrebatar os leitores.
 
 
 
 
 
Legend é o primeiro volume da brilhante trilogia distópica escrita pela autora Marie Lu e reporta-nos para um futuro pós-apocaliptico, mais precisamente para o ano de 2130 D.C.. Deparamo-nos aqui com uma República, como é agora conhecida a costa ocidental dos Estados Unidos, assolada pela peste principalmente nos bairros mais pobres e em guerra com as Colónias. Todas as crianças prestam prova aos 10 anos e a classificação é determinante para o seu futuro. As diferenças sociais são bastante patentes e serão cruciais no desenrolar da história.

Por um lado, temos June Iparis uma jovem privilegiada e que obteve classificação máxima nos testes, aos 15 anos é um prodigio com um futuro brilhante pela frente quando o seu irmão mais velho aparece morto, entre a dor da perda e o incentivo dado pela superior militar do irmão a rapariga entra numa missão para tentar descobrir e deter o assassino do irmão, um deliquente há muito procurado pela Repúbica.

Do outro lado, temos Day que é o criminoso mais procurado, com apenas 15 anos o rapaz com feitos memoráveis e incrivelmente audazes é acusado da morte de Metias Iparis. Com uma força física e destreza impares o jovem tenta mesmo na clandestinidade fazer de tudo para auxiliar a sua familia que pertence a um bairro de lata que está a ser consumida por uma nova estirpe de peste.
 
Quando o caminho de ambos se cruza descobrem que muito lhes foi escondido e quando desvendam a verdade por trás da República percebem que nunca a vida deles voltará a ser a mesma.

O facto de ambos terem uma voz activa na narrativa e serem de meios sociais completamente opostos faz com que tenhamos uma visão mais abrangente da Republica e desta forma conseguimos perceber o regime militarista onde se insere e a obediência cega que se exige sendo qualquer transgressão punida exemplarmente.

Os capitulos estão, desta forma, alternados entre os dois jovens e isso está bem patente no inicio de cada um com o nome em letra bastante grande e com tipos de letras diferentes para June e Day, também no topo das páginas está assinalado a quem se reporta a narração, contudo mesmo que estas medidas editoriais não tivessem sido tomadas conseguimos perceber que cada um dos jovens tem a sua própria "voz".

A autora apresenta-nos um mundo distópico extremamente interessante, com personagens fortes e bem construidas e uma escrita simples e fluída que nos agarra visceralmente. Um livro cheio de acção que nos prende às páginas repletas de emoções e reviravoltas. Devo dizer que embora esta obra esteja classificada como YA (ou seja jovem adulto, logo sem cenas intimas impróprias para menores) é tão rica em detalhes e criticas sociais, culturais e científicas que por vezes as mentes mais jovens não conseguem assimilar completamente a mensagem passada. Confesso-me ansiosa pelo próximo livro Prodigy por isso quem está em dúvidas não esteja este é um livro a ler. Imperdível.

4 comentários:

  1. E este livro já vem a caminho da minha estante :) estou tão curiosa!!

    * mary red hair *

    ResponderEliminar
  2. Ois,

    Bem pelo que percebo deve ser um livro bem interessante, não sou muito adepto de distopias, mas pelo que entendo não falta ação, um enredo interessante e personagens cativantes, fica registado a recomendação :)

    Bjs e boas leituras

    ResponderEliminar
  3. Mary eu fiquei fã quero muito que a 1001 mundos possa publicar o resto da trilogia.


    Fiacha eu acho que este livro é realmente muito bom apesar de ser YA tem os elementos necessários para nos prender. Confesso que de inicio não estava a conseguir entrar na história mas depois da pagina 50 foi sempre "a abrir"

    ResponderEliminar
  4. Ois,

    Tenho que ver se me emprestam ehehe já vou tratar de ver se o tem, mas fiquei curioso, até porque mo tinehm recomendado.

    Se gostas de distopias, lê um livro que a SDE lançou recentemente, passado na Coreia do Norte (Vidas Roubadas) é muito bom mesmo ;)

    Bjs

    ResponderEliminar