Crónicas de uma Leitora: "A Amante do Papa" de Jeanne Kalogridis [Opinião]

sexta-feira, 8 de agosto de 2014

"A Amante do Papa" de Jeanne Kalogridis [Opinião]

Sinopse
Filha do duque de Milão e mulher do conde Girolamo Riario, Catarina Sforza foi a guerreira mais corajosa do Renascimento italiano. Governou os seus territórios, travou as suas lutas e teve sempre os amantes que lhe apeteceu, sem consequências até ter um caso com Rodrigo Bórgia. A sua história notável é contada pela dama de companhia, Dea, uma mulher conhecida por ler as cartas de sorte. Enquanto Dea tenta descobrir a verdade sobre o assassínio do marido, Catarina, sozinha, rechaça os invasores que tentarão roubar-lhe o título e as terras.
No entanto, Dea lê as cartas e estas revelam que Catarina não pode fazer frente a um terceiro e último invasor: César Bórgia, filho do corrupto papa Alexandre VI, que tem umas velhas contas a ajustar com Catarina. Encurralada na fortaleza de Ravaldino enquanto os canhões de Bórgia atingem as muralhas, Dea passa em revista o passado escandaloso e os combates de Catarina para compreender o destino de ambas, e Catarina tenta corajosamente aniquilar o exército inexpugnável de Bórgia.
Catarina Sforza, uma criança mimada, uma mulher lutadora e determinada.
Contada pela voz da sua dama de companhia, Dea,  é-nos dada a conhecer a história de uma criança/mulher que foi obrigada a casar aos 13 anos com um homem muito mais velho do que ela. Vendo-se a braços com a miséria, ela alia-se ao marido para defender aquilo que é seu. Mas ao torna-se amante do filho do papa, ela está a assinar o seu insucesso. Apesar de nova, e de pouco saber sobre as artes da Guerra, Catarina herdou do pai a garra, a perseverança e a determinação. Com um sede enorme de ser alguém conhecido num mundo em que o nome era tudo, ela aprende a lutar ao lado dos seus homens. Mas é, também, através das artes da sedução que esta guerreira acaba por descobrir muitos segredos que a vão ajudar a chegar a bom porto. Quando se v~e despojada de todas as riquezas, expulsa da sua própria casa, os seus talentos vão ser postos á prova. Mas será que só isso chegará para ela defender a sua fortaleza?
Ao mesmo tempo vamos conhecer também Dea que vê o seu marido morrer-lhe nos braços, assassinado para não poder revelar segredos dos Bórgia. Dea que além de dama de Catarina, é também sua confidente, vai aprender com a sua ama a torna-se forte e a tentar descobrir quem lhe matou o marido e porquê.
Passado no último ano do século XVI, ficamos a conhecer um pouco mais das "guerras" que se mantinham entre as grande familias de Itália. Bórgia, Medicis e Sforza. Todos com o mesmo objectivo...... Poder.
Um livro que prende do inicio ao fim, mesmo tendo alguma partes que achei um pouco desnecessárias (tais como descrições demasiado pormenorizadas). A descrição de uma mulher de garra como houve poucas naquela época. Ficamos também a conhecer também os excessos dos ricos, a forma como eram tratados os pobres e os escravos. A falta de escrúpulos para atingir os fins, nem que tivessem que cometer vários assassinios.
Para quem gosta de relatos históricos, não pode, de todo, deixar de ler este livro.

Sem comentários:

Enviar um comentário