Crónicas de uma Leitora: Nunca seduzas um escocês de Maya Banks [Opinião]

quarta-feira, 9 de julho de 2014

Nunca seduzas um escocês de Maya Banks [Opinião]

Sinopse:
Eveline Armstrong é amada e protegida ferozmente pelo seu poderoso clã, mas é considerada “demente” por quem não pertence ao seu meio. Bonita, sobrenatural, com um olhar intenso, ela nunca falou. Ninguém, nem mesmo a sua família, sabe que ela não ouve. Eveline aprendeu sozinha a ler lábios e, feliz por viver com a sua família, nunca se importou que o mundo a visse como louca. Contudo, quando um casamento arranjado com um clã rival torna Graeme Montgomery seu marido, ela aceita cumprir o seu dever – sem estar preparada para os prazeres que se avizinhavam. Graeme é um guerreiro robusto com uma voz tão grave e poderosa que ela consegue ouvi-la, e umas mãos e beijos tão ternos e habilidosos que despertam as paixões mais profundas em Eveline.Graeme está intrigado com a sua noiva, cujos lábios silenciosos são como um fruto maduro de tentação e cujos olhos vivos e sagazes conseguem ver a sua alma. Assim que a intimidade entre ambos se aprofunda, ele descobre o segredo dela. E quando a rivalidade entre clãs ameaça a mulher que ele começara a apreciar, o guerreiro escocês moverá céu e terra para a salvar. Eveline despertou o seu coração para a melodia encantadora de um amor raro e mágico.


Nunca Seduzas um Escocês é o primeiro livro da série The Montgomerys and Armstrongs, da autora Maya Banks, cuja acção decorre nas terras altas da Escócia e que conta a história de dois clãs rivais vivendo em guerra constante e semeando a morte entre eles mas que por serem tão poderosos são unidos através do casamento arranjado pelo rei. Porém a jovem Eveline é diferente, especial, após sofrer uma aparatosa queda de cavalo, três anos antes do inicio da narrativa, aparenta uma deficiência cognitiva mas não é por isso menos protegida pela família, pelo contrário acaba por ser super protegida. Como é de esperar os Armstrongs não conseguem aceitar de bom grado este casamento que coloca em perigo uma moça tão frágil, o que a família desconhece é que ela apenas ficou surda do acidente não tendo qualquer problema mental. Os Montgomerys também não querem esta união, não só pela suposta deficiência mas porque desta forma Graeme o chefe do clã se recusa a dar herdeiros sentindo-se incomodado com a possibilidade de ter uma relação intima com a esposa.

Aquilo que vamos percebendo ao longo do livro é que Maya Banks é absolutamente genial pois construiu uma fantástica história sobre rivalidades, adversidades e principalmente de aceitação não só perante uma deficiência (que mais tarde se descobre apenas física) mas também social. Eveline enfrenta graves problemas ao casar e ir morar para o castelo dos Montgomerys pois não é aceite pelo clã que a desvaloriza e maltrata mesmo com os avisos do seu Laird. Graeme e os irmãos mostram-se à altura do desafio imposto pelo rei pois com o tempo vão aceitando e até nutrindo simpatia pela jovem, mas não é tudo Graeme não lhe é indiferente e depressa descobre o problema de surdez da esposa.

Maya Banks depressa subiu no ranking de autora deste género, os seus livros são de um romantismo e uma doçura deliciosa, estão bem enquadrados historicamente e a autora consegue sugar-nos para os acontecimentos com uma história repleta de percalços, peripécias e tropelias. Eu sou absolutamente fã deste género, não me canso de referir que os principios morais que regem este homens de armas são de tal maneira poderosos que abdicam de tudo pelo seu clã, a união familiar é mais uma vez uma forte componente e as páginas estão cheias personagens com grandes personalidades e apesar de Graeme ter lugar cativo no meu coração pela sua compreensão, bom senso e dedicação, Eveline é a minha heroina favorita de sempre pois demonstrou uma presença de espirito, uma sensibilidade e uma coragem inimaginável.

Com uma escrita altamente viciante a autora prende-nos à narrativa, deixando-nos a querer ler "só mais um"capítulo, a leitura é ávida, voraz mesmo pois o seu ritmo deixa-nos o coração bater mais forte, as lágrimas a bailarem nos olhos e os dedos a tremerem com a vontade de virar a página. A única decepção? Chegar ao fim, o livro é tão bom que deixa um saudosismo enorme. Mais livros de highlanders precisam-se e que esta série seja longa pois tanto os Montgomerys como os Armstrongs têm personagens que queremos conhecer melhor. 

1 comentário:

  1. Que bom que gostaste deste livro! Eu só o li à pouco tempo e também gostei, embora não tenha gostado totalmente. Mas sem dúvida que um dos aspectos mais fortes é a forma como a deficiência de Eveline é abordada, os seus desafios e a sua persistência para os ultrapassar. Aquele momento em que ela torna a falar... Genial! Se quiseres, podes ler a minha opinião aqui: https://atocadonunca.wordpress.com/2015/02/19/2-a-minha-experiencia-com-nunca-seduzas-um-escoces-de-maya-banks/
    Beijinhos

    ResponderEliminar