Crónicas de uma Leitora: "Um amor quase perfeito" de Sherry Thomas (Opinião)

domingo, 15 de junho de 2014

"Um amor quase perfeito" de Sherry Thomas (Opinião)

Sinopse
Durante dez anos Camden e Gigi, Lorde e Lady Tremaine, tiveram o mais perfeito dos casamentos, baseado na cortesia, no respeito e… na distância. Um segredo, uma traição e um oceano separa-nos desde o dia seguinte ao seu enlace. Gigi vive na bela mansão londrina do casal, enquanto Camden se estabeleceu em Nova Iorque. Nenhum se mete na vida do outro.
Agora as coisas vão mudar. Gigi decidiu agarrar-se à sua última oportunidade de ser feliz e aceitar a proposta de casamento do seu pretendente, Lorde Frederick. Assim, escreve ao marido, enviando-lhe os papéis do divórcio. Mas em vez de devolvê-los assinados, Camden apresenta-se à porta da mansão de Londres para lhe oferecer um acordo: vai conceder-lhe o divórcio, mas antes Gigi deve dar-lhe um filho, um herdeiro. Se ela não aceitar, ele não lhe concede o divórcio. Gigi aceita, mas impõe um período de um ano.
Um ano em que se acumulam as lembranças da paixão que outrora os uniu, um ano em que segredos são revelados, um ano em que o desejo volta mesmo contra vontade, e um ano em que ambos devem decidir se o casal mais admirado de Londres deve voltar a apaixonar-se... ou separar-se para sempre.

Descobri este livro por mero acaso. Achei a sinopse interessante e resolvi que valia a pena le-lo. Não me arrependi. 
Depois de uma leitura tão "forte" como o livro que acabei, estava a precisar de uma coisa leve, e foi exactamente isso que este livro se revelou.
Passado no fim do seculo XIX, vamos encontrar Camden e Gigi. Um casal perfeito, porque.... vivem com a distância de um oceano entre eles. No dia a seguir ao casamento, Camden abandona a mulher e parte para os Estados Unidos, depois de descobrir que o casamento foi baseado numa mentira.
Agora, passados 10 anos e quando recebe os papéis do divórcio da mulher, ele resolve voltar a casa e fazer-lhe uma proposta. Em troca do divórcio ela terá de lhe dar um herdeiro. Mas vai Gigi aceitar isso? Afinal ela já prometeu casamento a Freddy, assim que o divórcio saísse.
Escrito de uma forma bastante simples e leve, somos levados a sorrir muitas vezes com as situações caricatas que a autora nos apresenta. Tanto Camden como Gigi são dois personagens muito fortes e que não dão o braço a torcer com facilidade. E acho que foi mesmo isto que me cativou mais na história. O não haver uma mulher que se rebaixasse ao marido, como era costume naquela época.
Se procuram uma história que vos faça viajar, sem pensar muito, este livro é o idela

Sem comentários:

Enviar um comentário