Crónicas de uma Leitora: O Jogo de Ripper, de Isabel Allende [Opinião]

terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

O Jogo de Ripper, de Isabel Allende [Opinião]

Saiba mais sobre O Jogo de Ripper, aqui

Sinopse:
Indiana e Amanda Jackson sempre se apoiaram uma à outra. No entanto, mãe e filha não poderiam ser mais diferentes. Indiana, uma bela terapeuta holística, valoriza a bondade e a liberdade de espírito. Há muito divorciada do pai de Amanda, resiste a comprometer-se em definitivo com qualquer um dos homens que a deseja: Alan, membro de uma família da elite de São Francisco, e Ryan, um enigmático ex-navy seal marcado pelos horrores da guerra.

Enquanto a mãe vê sempre o melhor nas pessoas, Amanda sente-se fascinada pelo lado obscuro da natureza humana. Brilhante e introvertida, a jovem é uma investigadora nata, viciada em livros policiais e em Ripper, um jogo de mistério online em que ela participa com outros adolescentes espalhados pelo mundo e com o avô, com quem mantém uma relação de estreita cumplicidade. Quando uma série de crimes ocorre em São Francisco, os membros de Ripper encontram terreno para saírem das investigações virtuais, descobrindo, bem antes da polícia, a existência de uma ligação entre os crimes. No momento em que Indiana desaparece, o caso torna-se pessoal, e Amanda tentará deslindar o mistério antes que seja demasiado tarde. 
 
 
 
Quem, ao longo dos anos, tem seguido o trabalho de Isabel Allende sabe que a autora nunca antes tinha escrito um thriller por isso quando peguei neste livro não o encarei dessa forma e a verdade é que o O Jogo de Ripper é muito mais do que isso.

A forma de Allende escrever é qualquer coisa de fenomenal, com descrições minuciosas do tempo e do espaço que cada cena se desenrola conseguimos visualizar a acção de forma perfeita, aliando a isso a linguagem complexa e intricada da autora cheia de deliciosas metáforas e as mais variadas críticas socio-económicas (e outras) esta obra é realmente extraordinária.

O Jogo de Ripper conta a história de como uma mão cheia de adolescentes dos mais variados cantos do mundo se juntam on-line para tentar resolver os assassinatos que têm vindo a atingir a cidade de São Francisco. O jogo é encabeçado por Amanda, uma adolescente de 17 anos dotada de grande inteligência mas grandes dificuldades em relacionar-se com os outros, é ela que através de contactos do seu avô que a apoia nestas andanças e do seu pai que é inspector da policia local vai tendo acesso a dados confidenciais sobre os crimes.

Por cada nova personagem introduzida, Allende faz uma pequena introdução contando a sua história de vida e como chegaram àquele ponto da trama fazendo deste livro (tal como vem sendo hábito) uma laboriosa teia de conexões que se cruzam e nos levam ao desfecho completamente surpreendente.

Os fãs da autora vão delirar com esta nova obra, adorei rever a sua escrita e voltei a apaixonar-me pelo seu estilo incomum e absolutamente brilhante.

2 comentários:

  1. Pela sinopse e pela review o livro parece interessante, mas em geral, as opiniões não têm sido muito positivas ... Ainda estou em dúvida se me aventuro neste novo livro da autora.

    ResponderEliminar
  2. O facto de a autora se ter aventurado pela primeira vez num thriller pode ser condicionante mas acho que o pior foi mesmo ela ter desvalorizado o género e encarado este livro como uma "brincadeira" acho que houve quem ficasse ofendido e levasse isso em conta.

    Para mim a autora está igual a ela própria, o seu estilo é inconfundivel e eu gostei imenso.

    ResponderEliminar