Crónicas de uma Leitora: O Êxtase, de Nicole Jordan [Opinião]

terça-feira, 4 de fevereiro de 2014

O Êxtase, de Nicole Jordan [Opinião]

Uma paixão escaldante que não pode ser domada…

Depois de ver a mãe consumir-se e perder tudo por um amor não correspondido, Raven jura a si mesma que só casará para recuperar a posição social da família. O único capricho que se permite é sonhar com um amante, um pirata que só existe nos seus sonhos e que a preenche de amor e paixão. Porém, quando rebenta um escândalo em torno da sua pessoa, é obrigada a aceitar a proposta de casamento do dono diabolicamente sensual do mais famoso clube de jogo de Londres. Apesar de se sentir irresistivelmente atraída pelo seu enigmático salvador, Raven lutará para resistir ao novo marido, um homem cujas carícias prometem um êxtase para além das suas fantasias mais loucas. Para salvar a reputação de uma jovem inocente a quem o irmão estava prestes a arruinar a vida, Kell Lasseter sacrifica a sua liberdade para casar com a deslumbrante debutante. Desprezado pelo seu sangue irlandês e passado obscuro, Kell não pode negar que aquela encantadora mulher temperamental não se parece nada com as outras jovens da sociedade... nem sufocar o seu ardente desejo por ela. Dividido entre a lealdade para com o irmão e os crescentes e novos sentimentos pela sua esposa rebelde, Kell tentará libertar o coração relutante de Raven antes de poder conhecer o êxtase do verdadeiro amor.

- Não podes raptar uma mulher, Sean! Mesmo que ela te tenha feito sofrer! – bradou Kell Lasseter.
- Quero humilhá-la – protestou o irmão. – Raven Corvo Kendrick é uma desavergonhada! Rejeitou-me, na esperança de se casar com um duque. Agora que a comprometi, ele já não vai querê-la!
- Não importa! Vais libertá-la
Sean acabou por obedecer e fugiu. Mas na sociedade vitoriana de Londres, não se compromete a honra das senhoras. Resignado a corrigir os pecados do irmão, Kell desposa Raven, apesar do desprezo que ela lhe inspira.


O Êxtase é o 4.º livro da série Notorious e foi o primeiro que li, de inicio ia a medo pois ao começar pelo quarto podia estar a perder parte da história mas na verdade depressa superei qualquer receio pois não se nota qualquer falta de ligação e pode-se ler em separado.

Raven Kendrick é uma jovem que cresceu sabendo que era filha bastarda e desejando um casamento com alguém de uma posição social elevada que a pudesse proteger de tal estigma. A sua mãe tendo-se apaixonado e engravidado de um homem casado foi forçada a um casamento de conveniência e banida para sempre, pelo seu pai, para as Caraíbas. Ensinou Raven desde cedo a abdicar do amor pois este enfraquece a alma e que ela se deveria dedicar a encontrar um homem que a pudesse salvaguardar do passado. É com isto em mente e com um delicioso livro erótico sobre um sensual pirata que ruma a Londres. Durante a sua apresentação à sociedade a jovem encanta todos e recebe várias propostas de casamento acabando por aceder casar com um duque bastante mais velho que ela. Porém Raven é mais do que demonstra à sociedade, é fogosa, ardente, cheia de convicções e certezas, é forte e audaz, com um grande sentido de justiça e um coração enorme.

Kell Lasseter é o proprietário do famoso clube londrino The Golden Fleece um reputado antro de jogo que construiu a pulso depois de ter fugido para a Irlanda, terra natal de sua mãe, com o irmão mais novo Sean Lasseter. Tendo passado por grandes provações, consegue através do jogo ganhar grandes quantias levando à abertura do clube e à melhoria substancial das suas condições de vida tendo conseguido amealhar uma grande fortuna. Kell sente-se forçado a casar com Raven depois do seu irmão a raptar no dia do casamento desta com o duque de Halford manchando desta forma a sua honra. Um homem de grande honra e dever familiar carrega um fardo demasiado pesado para a pouco (ou nenhuma) culpa que tem.

Será de dizer que este casal vai passar por grandes provações que curiosamente os aproximam cada vez mais, isso aliado ao intenso desejo que sentem um pelo outro faz deste livro uma mistura explosiva. A necessidade de Raven de não se apaixonar com medo de ficar presa a um homem e sofrer como a sua mãe é um grande entrave à sua felicidade. Contudo ambos não resistem à atração que os unes e vivem momentos de intenso prazer. De referir que o pirata do livro (e das fantasias) de Raven depressa perde o protagonismo, a realidade é muito mais ardente.

Este livro está carregado de críticas sociais bastante fortes e escrito de uma forma tão exímia que conseguimos entender como funcionava a alta sociedade daquela época. O apreço pelos títulos nobiliárquicos acima de qualquer outra coisa demonstra bem a falsidade e podridão vivida naquela altura, em que as intrigas e as aparências alimentam a vida da alta sociedade e as pessoas são tratadas pelo que têm e não pelo que são.

Uma narrativa bem estruturada, com uma linguagem acessível, personagens fortes e envolventes que nos prende desde a primeira página, pautada com acontecimentos marcantes e com descrições eróticas extremamente picantes e deliciosamente atrevidas Nicole Jordan é uma autora a seguir.

Sem comentários:

Enviar um comentário