Crónicas de uma Leitora: " O dominador" de tara Sue Me (Opinião)

quinta-feira, 26 de dezembro de 2013

" O dominador" de tara Sue Me (Opinião)

Sinopse
Nathaniel West é quem faz as regras, e as regras são claras: nunca aceitar uma submissa inexperiente.
Mas quando o sedutor milionário conhece Abby, comete o primeiro erro: decide aceitar a jovem e disponível candidata e submetê-la a um teste, na sua casa de campo, durante todo o fim-de-semana…
Ao subestimar a nova submissa, Nat dá o segundo passo em falso. Porque ela não sabe, mas quer aprender. É ingénua, mas sabe o que quer. E quer ultrapassar todas as barreiras, todos os tabus edescobrir o coração que verdadeiramente se esconde por trás da devastadora frieza de Nat.
Começa o jogo. Perigoso, erótico, sensual. E desta vez é Nathaniel quem nos conta a história - e é ele quem deixa cair, uma após outra, as máscaras atrás das quais se protege. Sempre dilacerado por um dilema: ele quer Abby por inteiro, quer conquistá-la. Mas não sabe como, e tem de aprender, mesmo quebrando todas as regras.
Mas até que ponto ele se deixará levar pelo desejo, quando estão em causa os terríveis segredos do seu passado?

Para quem leu o primeiro livro desta "Triologia", este não se vai revelar nenhuma surpresa. Aliás, para mim, no fundo foi uma desilusão, um dejá vu., no verdadeiro sentido da palavra.
Se no primeiro livro, a história é "nova" e somos levados a um mundo que para muita gente é ainda "tabu" e considerado uma "aberração", através de Abby, neste segundo, teremos a mesma história, mas contada pela voz de Nathaniel West, o dominador. O mesmo relato, contado pelos dois personagens principais, o que me leva a pensar que raio será o 3º. E se no fim da "submissa" eu estava curiosa para ler o segundo, pois pensava ser uma sequência, neste momento não posso dizer o mesmo acerca do 3º.
Mas não posso ser injusta com a autora, que tem uma escrita leve, fácil, e mesmo falando de assuntos que para algumas pessoas ainda são para não ser falados, não chega nunca a ter uma linguagem "ordinária". A história em si, faz lembrar um pouco as "Cinquenta sombras de Grey", mas nunca retirando o mérito que esta merece.
Resumindo, vamos conhecer Nathaniel West, um dominador que escolhe as suas submissas através de "currículos" que lhe são enviados. Um dia ele recebe um da última pessoa com quem ele alguma vez se imaginaria envolvido "voluntariamente". Abbigail que ele conhece do passado, Abby que é intrigante e que desconhece por completo o mundo da submissão. Porque é que ela se quis submeter a ele? E como é que ele lhe vai conseguir resistir quando ela é tão ingénua e no entanto tão mulher.Quando menos espera, ela vai ver-se enredado na sua própria rede sem conseguir esconder os segredos negros do seu passado. E será que Abby ainda o vai aceitar depois dos descobrir?
Se gostaram de ler o primeiro livro, e não se importam de ler o mesmo, da perspectiva do homem, então sim, vale "perder" um pouco de tempo com as descrições que Nathaniel nos dá.

Sem comentários:

Enviar um comentário