Crónicas de uma Leitora: "O Espião Português" de Nuno Nepomuceno (Opinião)

quarta-feira, 6 de novembro de 2013

"O Espião Português" de Nuno Nepomuceno (Opinião)




Para mais informações sobre o livro clique aqui, sobre a trilogia clique aqui

Sinopse

 André Marques-Smith é um bom rapaz. Dedicado à família e aos amigos, é o mais jovem funcionário do Ministério dos Negócios Estrangeiros português a assumir a tão desejada direcção do Gabinete de Informação e Imprensa. Uma dedicação profissional que esconde um coração partido. Freelancer é o nome de código de um espião da Cadmo, uma organização semigovernamental internacional. A par do MI6 e da CIA, a Cadmo age nos bastidores da política mundial, moldando o mundo tal como o conhecemos. Freelancer é metódico e implacável, um dos seus operacionais mais cotados. André e Freelancer são uma e a mesma pessoa. De Lisboa a Estocolmo, Londres, Roma ou Viena, as suas muitas faces desdobram-se, as missões sucedem-se. Uma delas reserva-lhe uma surpresa. Nas suas mãos, está uma descoberta que pode mudar o mundo e pôr em causa toda a sua vida. Mas, para o melhor e para o pior, ele não está sozinho…




Li uma reportagem sobre o livro e o autor quando o mesmo ganhou o 1º prémio Book.it e o livro foi editado, e nessa altura fiquei muito curiosa , fez-me pensar em Dan Brown, Daniel Silva e Luis Miguel Rocha, autores que gosto muito. No entanto não é um livro em que possamos "tropeçar" em qualquer livraria física ou online (com excepção da Book.it e lojas da rede Continente), e mesmo procurando-o no Continente nunca o encontrei, e deixei ficar para um dia. Este ano, quando fui á Feira do Livro de Lisboa (certame que adoro e que vou desde pequenina com os meus pais) ouvi anunciar nos altifalantes que Nuno Nepomuceno se encontrava no certame, e pensei para comigo "é desta" .

Tive o prazer de conhecer o autor que é de uma extrema simpatia, e que humildemente me falou desta sua aventura com carinho e entusiasmo. Ganhei um autógrafo e uma foto com o autor, e trouxe o livro toda contente, mas pousei o livro na estante e nunca mais lhe peguei... O facto de conhecer o autor e simpatizar com ele provocou-me um medo de ler o livro e não gostar... Não gosto de magoar pessoas e sendo um dos meus géneros de literatura preferida, fiquei com medo de não gostar e não corresponder ao entusiasmo do autor.

Agarrei o livro com alguma curiosidade e receio e comecei a ler, ao inicio de forma mais lenta e em pouco tempo me entreguei sem qualquer receio, a história é muito boa, os países de passagem são alguns destinos da Europa que quero conhecer e a escrita é clara e simples, as personagens bem enquadradas e atitudes estranhas de algumas personagens são clarificadas e justificadas ao longo da narrativa, uma leitura fácil de ler e de nos prender,

Suécia, Inglaterra, Portugal, Itália, Bélgica, Aústria, são países palco de inumeras aventuras do espião português André Marques-Smith, oriundo de uma familia de espiões, um jovem promissor chefe de Gabinete da imprenssa do Ministério dos Negócios Estrageiros e simultâneamente secretário pessoal do próprio Ministro do mesmo departamento, tem a seu cargo algumas das mais dificeis tarefas de espionagem por todo o mundo. Mas quando toda a sua vida começa a desmoronar, haverá algo mais por detrás?
Uma história dde espionagem e amor, de valores mais altos, como a amizade, a familia e o amor. O autor conseguiu uma intricada história que me deixou suspensa e que me fez querer mais e mais.

Confesso que não gostei do "destino" de algumas personagens, mas o final em aberto faz-me acalentar pelo futuro. Estou desejosa que seja lançado o próximo volume desta trilogia (sem data prevista e ainda sem nome), porque fiquei fã e rendida a Freelancer, o nome de código do espião Português. Recomendo vivamente.


Sem comentários:

Enviar um comentário