Crónicas de uma Leitora: Gritos do passado de Camilla Lackberg (Opinião)

quarta-feira, 27 de novembro de 2013

Gritos do passado de Camilla Lackberg (Opinião)

Sinopse
Numa manhã de um Verão particularmente quente, um rapazinho brinca nas rochas em Fjällbacka - o pequeno porto turístico onde decorreu a acção de A Princesa de Gelo - quando se depara com o cadáver de uma mulher. A polícia confirma rapidamente que se tratou de um crime, mas o caso complica-se com a descoberta, no mesmo sítio de dois esqueletos. O inspector Patrick Hedström é encarregado da investigação naquele período estival em que o incidente poderia fazer fugir os turistas, mas, sem testemunhas, sem elementos determinantes, a polícia não pode fazer mais do que esperar os resultados das análises dos serviços especiais. Entretanto, Erica Falk, nas últimas semanas de gravidez, decide ajudar Patrick pesquisando informações na biblioteca local e novas revelações começam a dar forma ao quadro: os esqueletos são certamente de duas jovens desaparecidas há mais de vinte anos, Mona e Siv. Volta assim à ribalta a família Hult, cujo patriarca, Ephraim, magnetizava as multidões acompanhado dos dois filhos, os pequenos Gabriel e Johannes, dotados de poderes curativos. Depois dessa época, e de um estranho suicídio, a família dividiu-se em dois ramos que agora se odeiam.


Nesta segunda obra de Camilla Lackberg, vamos de novo encontrar algumas das personagens do primeiro livro. Erica escritora, e Patrick, policia, já estão, agora, juntos há ano e meio e esperam o primeiro filho.
Temos também Anna, irmã de Erica que finalmente se divorciou do marido ciumento e violento e está agora numa nova relação.
Mas também vamos ficar a conhecer um pouco melhor os colegas de Patrick, na esquadra de policia.
A narrativa começa com a descoberta de um corpo. Uma mulher que foi deixada nua, na praia, brutalmente assassinada. E como se esta tragédia não fosse ainda o suficiente, nada os prepara para a descoberta macabra que fazem quando retiram o corpo de cima do cobertor onde foi encontrado. É que debaixo dela estão esqueletos de 2 jovens mulheres, assassinadas há mais de 20 anos.
Começa aqui mais uma investigação alucinante para descobrir a relação que existe entre esta morte e a morte das duas jovens, de há 20 anos. Mais uma vez somos surpreendidos com vários segredos familiares que nos poderão levar por vários caminhos na descoberta do assassino. Será que ele/ela voltou a atacar passado tanto tempo? E porque é que todas as raparigas tinham os ossos totalmente partidos? que tipo de sadico foi capaz de lhes fazer isso ainda em via? Porque é que a rapariga alemã assassinada na praia, andou a fazer perguntas sobre as desaparecidas tantos anos antes? Será que existe alguma relação? Por onde quer que a investigação siga, vai sempre embicar no mesmo caminho. No caminho da familia Hult que depois de um suicídio se dividiu e agora vive de costas voltadas. Terão os dois irmãos Stefan e Robert, sempre a braços com a justiça alguma coisa a ver com isto? Quando mais uma jovem desaparece de repente, eles tornam-se os principais suspeitos. Mas se foram eles, como tiveram acesso aos esqueletos das jovens quando eles ainda nem sequer eram nascidos na altura do desaparecimento destas?
Tantas perguntas para responder. Tanto caminho intrincado e tantas suspeitas.
Camilla Lackberg consegue mais uma vez prender-nos ao livros com facilidade, pela forma como descreve as situações. O cuidado que existiu ao fazér pesquisa sobre o funcionamento ca policia e dos exames laboratoriais nota-se, o que torna o livro ainda mais verosímil.
Se gostei do primeiro, ainda gostei mais deste segundo e estou ansiosa para ler o seguinte.

Sem comentários:

Enviar um comentário