Crónicas de uma Leitora: Encontro inesperado de Jill Mansell [Opinião]

quarta-feira, 13 de novembro de 2013

Encontro inesperado de Jill Mansell [Opinião]



Para mais informações acerca do livro, clique AQUI


Sinopse

Uma comédia romântica perfeita. -Kirkus 

Na véspera do seu casamento, Poppy Dunbar conhece Tom. Ele é alto, atraente, dono de um sorriso irresistível, e Poppy não consegue livrar-se da sensação de o ter conhecido toda a vida. Combinam um encontro mas a jovem não tem coragem para aparecer. O problema é que também já não consegue avançar com o casamento. Ganhando subitamente fama de destruidora de corações, Poppy decide partir para Londres e começar tudo de novo. Instala-se na casa boémia de Caspar French, um belíssimo jovem artista com reputação de sedutor, mas nem assim consegue esquecer Tom. E enquanto não o voltar a ver, nunca saberá se o encontro deles estava destinado, ou se foi apenas uma questão de timing...





A leitura deste livro foi como o espreitar por uma fechadura, género Alice no País das Maravilhas, e deparar-me com a cidade de Londres vestida com as suas cores mais garridas! Antes de mais tenho de confessar que adoro a forma de escrita de autores ingleses. Para quem leia autores americanos e ingleses, nota-se uma série de diferenças bastante peculiares. Na minha modesta opinião, e tendo o cinema como comparação, acho que os americanos conseguem de alguma forma ir mais além no que diz respeito por exemplo, a efeitos especiais, fotografia, guarda-roupa, entre outros, no entanto, os autores ingleses conseguem colorir com as mais brilhantes cores os seus romances! O ritmo desta autora pode ser descrito no mínimo, como frenético, as personagens vivem as suas vidas numa corrida de emoções resvalando um pouco a bipolaridade!

Falando um pouco do livro, como já vem sendo hábito, apesar de existir um casal de protagonistas Poppy e Tom, em seu redor encontramos «romances satélites», neste caso entre a exuberante Claudia e o dono de uma loja de antiguidades, Jake Lander. O que é que estes dois têm em comum??? Aparentemente nada! Como é dito na sinopse, Poppy termina o seu casamento no próprio dia, o noivo ainda confunde o final da relação com nervos de noiva mas Poppy é firme, termina o casamento, é colocada na rua pelo pai e viaja até Londres onde acaba por conseguir alugar um quarto em casa do playboy Casper! Entre ambos cresce uma certa cumplicidade embora ambos passem 80% do livro a negar que afinal aquela empatia que carateriza a relação de ambos, é algo mais do que uma simples amizade.

Casper continua com as suas conquistas, inicialmente para tristeza de Claudia que por ele tinha um fraquinho (por ele ou pelo seu dinheiro). Já Poppy vai gozando com as várias conquistas de Casper, no entanto, ao longo da trama essas começam a fazerem-se sentir um pouco como aquela pedrinha mínima que temos na bota, que não nos damos ao trabalho de descalçar mas que ao fim de umas horas já tomou a proporção de um seixo enorme e cheio de bicos!!!!

Quando os dois estão por um fio de reconhecer os sentimentos de ambos, Jake faz o impensável, encontra Tom, sim o tal pelo qual Poppy desistiu do casamento e que apenas o viu mais uma vez de relance e, aparentemente ele é tão querido/charmoso/glamoroso como à primeira vista! No entanto como já dizia a minha avó, nem tudo o que brilha… é oiro! Mais não digo!

Jill Mansel é uma autora que associo sempre ao Natal, perguntem-me porquê mas sou incapaz de dar uma resposta, talvez porque no fundo no fundo, adorasse conhecer Londres no período do Natal, talvez porque um dos meus filmes preferidos desta época festiva seja O Amor Acontece, talvez por causa disso tenha passado o livro todo a associar o pai de Cláudia ao actor Billy Mack! Mas os seus romances são como desembrulhar um presente de Natal que nos aquece por inteiro, um cruzamento entre uma manta quentinha e uma caixa dos nossos chocolates preferidos! Este tornou-se sem dúvida, um dos meus preferidos. Aconselho a sua leitura sem quaisquer reservas!

2 comentários:

  1. Bem, comédia romântica para mim já é um ponto a favor, mas por acaso ainda não li nenhum livro dessa autora.
    Mas pelos vistos, promete!
    :)

    ResponderEliminar