Crónicas de uma Leitora: Delirio, de Lauren DeStefano [Opinião]

terça-feira, 5 de novembro de 2013

Delirio, de Lauren DeStefano [Opinião]

 
Sinopse
Rhine e Gabriel fugiram da mansão, mas o perigo nunca ficou para trás.
Para Rhine de dezassete anos, a arriscada fuga do casamento polígamo parece ser o princípio do fim. A evasão leva Rhine e Gabriel a uma armadilha sob a forma de uma feira popular, cuja dona mantém várias raparigas prisioneiras, Rhine acaba de fugir de uma prisão dourada para se meter noutra ainda pior.
A jovem acaba por percorrer um cenário tão sombrio como o que deixou há um ano - que reflecte os seus sentimentos de medo, desespero e desesperança.
Com Gabriel a seu lado está decidida a chegar a Manhattan para se encontrarem com Rowan, o irmão gémeo, mas a viagem é longa e perigosa e o que Rhine espera que seja uma segurança relativa revelar-se-á muito diferente.
Num mundo onde as raparigas só vivem até aos vinte anos e os rapazes até aos vinte e cinco, o tempo é precioso e Rhine não tem como escapar nem iludir o excêntrico sogro Vaughn, que está determinado a levá-la de novo para a mansão... a todo o custo.
Nesta sequela de Raptada, a heroína tem de decidir se a liberdade vale a pena, pois tem mais a perder do que nunca.



Delirio é o segundo volume da trilogia "Jardim Químico" de Lauren DeStefano, uma distopia viciante, tenebrosa e carregada de cenas angustiantes que nos leva a uma leitura compulsiva para sabermos só mais um bocadinho. 

Desta vez Rhine depois de fugir da mansão com Gabriel é levada numa espiral de acontecimentos inesperados e surpreendentes, aqui parece que tudo acontece aos dois. Vão parar a uma feira no minimo aterrorizadora em que as raparigas são vendidas como carne para canhão pela dona do local mais conhecida por Madame que se apropria deste jovem casal drogando-os. Conseguem mais uma vez fugir e partem ao encontro do irmão de Rhine. 

Nada aqui é fácil, a rapariga adoece, não encontra o irmão e ainda vai passar por muitas provações. Mais uma vez fiquei presa na narrativa, o mundo criado pela autora deixou-me com o coração apertado. A escrita é bastante acessível e fluída, deixando-os a ansiar por mais. Infelizmente não me pareceu ver uma grande evolução no romance entre Rhine e Gabriel, pelo contrário, pareceu-me que de alguma forma ela sente mais a falta do seu marido Linden o que me intrigou bastante sobre os acontecimentos do próximo volume.

A autora mostrou-nos mais do mundo que criou não nos deixando confinados à mansão ou aos poucos eventos sociais que o jovem casal frequentou e vemos a decadência e podridão que as pessoas enfrentam. Rhine é apesar de tudo a personagem forte do livro, a lutadora, aquela que procura respostas. Gabriel pareceu-me uma personagem bastante fraca, indo à deriva, deixando-se levar pelas ideias de Rhine. São ainda acrescentadas várias personagens e gostei de perceber o modo como interagem entre si, as suas finalidades, os seus designios.

Não costumo ler muitas distopias por isso não posso comparar com outras que haja no mercado mas sei que esta história é altamente viciante, que nos prende e nos deixa ansiosos por mais umas páginas que nos deixa completamente apaixonados por um mundo tão terrível e com personagens tão manipuladoras, onde o final é absolutamente arrebatador que nos faz desejar que o ultimo volume chegue bem depressa. Aos amantes de distopias, recomendo sem dúvida. Quem não tem por hábito ler este género também recomendo, se começarem por esta trilogia vão de certeza ficar fãs.

Sem comentários:

Enviar um comentário