Crónicas de uma Leitora: Bonebreaker de Sara Reis [Opinião]

segunda-feira, 25 de novembro de 2013

Bonebreaker de Sara Reis [Opinião]




Sinopse:
Com a intenção de curar o irmão de uma doença, para ela desconhecida, Raquel com cinco anos de idade cede à pressão de um completo estranho que se oferece para ajudar. Sem ter mais ninguém a quem recorrer, Raquel fica dependente desse sujeito que a acolheu e ajudou, mudando a sua vida radicalmente.

Obtendo uma nova identidade, treinos rigorosos e crescendo num ambiente de desconfiança, inveja e ganância, Raquel é obrigada a trabalhar para mafiosos que têm como principal actividade matar pessoas. Para ela não é nada de outro mundo visto que ela própria esconde um segredo: ela é um canibal.

Contudo, a sua única intenção é poder reencontrar-se com o seu irmão que partiu para ser hospitalizado. Raquel tem vários planos em mente para convencer toda a gente de que está do seu lado e obter informações acerca do irmão. Mas a situação complica-se quando esta se apercebe de que está a apaixonar-se pelo homem que deveria enganar e que este homem não é humano.



Este livro conta a história de Raquel, no inicio com sete anos, e do seu irmão mais novo. Ambos tem um segredo, um quanto ou tanto estranho, são canibais.
Depois do seu irmão adoecer, Raquel quer fazer tudo o que puder para o salvar. Abordada por um estranho que lhe diz que a melhor maneira para ela o salvar é entrar numa agência ultra-secreta.
Bonebreaker é o nome da Agência que conta com assassinos das mais variadas raças, vampiros, anjos, domónis e... canibais.
Claro que ela aceita. Então muda o seu nome para Sara e há medida que se vai habituando a agência e aos novos colegas descobre que há algumas regras que se forem quebradas terão castigos, muitas vezes mortais.
Descobre também que se apaixonou um homem muito misterioso e com um passado complicado.

Apesar de toda a história em si ser interessante, peca muito pelo excesso de personagens que muitas das vezes nem fazem sentido, juntando a falta de organização geográfica que muitas das vezes me deixaram desorientada. No entanto adorei Hugo, foi das personagens mais coerente e credíveis que este livro tem.
Um outro ponto positivo foi os diálogos que não pareciam nada forçadas e ate eram muito credíveis.
Uma outra coisa que não sei se foi intencional ou não, mas tem um capitulo repetido, mas não seguido, se não foi intencional é completamente descabido.

Em geral tem uma base muito boa, mas a sua construção foi muito mal feita. Merecia de facto uma melhor organização, a ver o que me espera no próximo volume.




Sem comentários:

Enviar um comentário