Crónicas de uma Leitora: O Mistério de Carlos Magno, de Steve Berry [Opinião]

quinta-feira, 24 de outubro de 2013

O Mistério de Carlos Magno, de Steve Berry [Opinião]




Para mais informações clique AQUI

Sinopse:

O que liga um submarino secreto desaparecido, a exploração da Antártida pelos nazis em 1938 e o túmulo de Carlos Magno? Cotton Malone, ex-agente secreto americano, perdeu o pai em criança, supostamente durante um exercício militar, num submarino no Atlântico Norte. Empenhado em saber toda a verdade, pede à sua antiga chefe, Stephanie Nelle, para consultar os arquivos militares. A descoberta é surpreendente: o submarino que o pai comandava era uma embarcação nuclear secreta que se perdeu durante uma missão confidencial sob o gelo da Antártida. Mas Malone não é o único em busca da verdade. As irmãs gémeas Dorothea e Christle querem a fortuna prometida pela mãe àquela que descobrir o que realmente aconteceu ao seu pai que morreu igualmente nesse misterioso submarino. Mas elas estão ao corrente de algo que Malone não sabe: instigados por estranhas pistas descobertas no túmulo de Carlos Magno, os nazis exploraram a Antártida, em 1938. O ex-agente descobre que um diário redigido com enigmas indecifráveis e a viagem desventurada do seu pai estão relacionados com uma revelação de consequências incalculáveis para a humanidade. Finalmente será confrontado com a verdade sobre a morte do pai e com a possibilidade do seu próprio fim.




Por muito que me custe, não fui capaz de gostar deste livro, possivelmente culpa minha pois encontra-se bastante bem escrito, o enredo é apelativo no entanto não me cativou desde o início. O tamanho do livro possivelmente criou em mim alguns mecanismos de defesa para ter ficado tão «de pé atrás» com a presente obra, no entanto sei que me esforcei e possivelmente menos 200 páginas e teria sido empolgante! Foi bastante difícil conseguir chegar às páginas finais de um livro que posso afirmar ter um pouco de tudo, policial, thriller, romance e até ficção científica mas no final de tudo, não consegui suspirar de melancolia por o ter terminado mas sim de alívio.

As personagens estão bastante bem caraterizadas, com todos os seus ódios de estimação que reportam a acontecimentos ligados ao passado, tanto ele passado a curto prazo como a bem longo prazo uma vez que o mistério adensa-se em torno da vida de Carlos Magno. Não querendo criar spoiler, acredito piamente que esta seja uma obra bastante apreciada pelos leitores dos géneros policial ou thriller, especialmente que já tenham conhecimento de obras anteriores (mais um lapso meus).

A personagem de Cotton Malone fez-me recordar um Sean Connery há algumas décadas atrás cheio de personalidade e carisma. As gémeas Dorothea e Christle apesar do autor tentar estabelecer diferenças entre as mesmas, vieram a revelar-se faces de uma mesma moeda, facetas integrantes na personalidade de sua mãe Isabel, personagem pela qual não consegui de modo algum simpatizar... venenosaaaaaaa, uma vez que passou a vida a tentar virar uma contra a outra... como Napoleão, Dividir Para Conquistar.

Este livro tem um final completamente surpreendente, deixando o leitor em puro suspense ficando algo por descobrir, quem sabe, num próximo volume.

Sem comentários:

Enviar um comentário