Crónicas de uma Leitora: "Segredos Submersos" de Hannah Richell - opinião

segunda-feira, 19 de agosto de 2013

"Segredos Submersos" de Hannah Richell - opinião



Sinopse


Os Tides são uma família com segredos sombrios. Marcados pelos acontecimentos de um dia trágico, há dez anos, cada um deles, à sua maneira, tenta seguir com a sua vida.

Dora, a filha mais nova, vive num armazém degradado no East End com o seu namorado artista, Dan. Está a conseguir levar uma vida calma - mas quando descobre que está grávida, a notícia deixa-a abalada e leva-a a recordar uma culpa de longa data. Ao voltar a Clifftops, a casa da família situada no alto da costa de Dorset, Dora tem de enfrentar o seu passado. Clifftops não mudou nos últimos anos e, ao percorrer as suas divisões e jardins, Dora ainda consegue sentir o eco daquele terrível dia de verão em que a vida dos Tides mudou para sempre. Quando Dora começa a procurar pistas dos acontecimentos daquele dia fatídico, dá-se conta de que o caminho para a redenção pode estar na sua irmã problemática, Cassie. Se Dora conseguir arrancar a Cassie os segredos que ela jurou levar consigo para o túmulo, talvez consiga a redenção. Mas será que segredos antigos podem realmente ser perdoados? E mesmo que se consiga perdoar e esquecer, como é que nos permitimos amar de novo?

A primeira coisa que me chamou a atenção neste livro, foi o título. Eu sou daquelas pessoas que gosta de ver o titulo original e depois no que se tornou a tradução. E se alguns casos, se perde um pouco, neste, eu tenho que dar os parabéns porque o títulos está mais do que adequado. Bem mais do que o original. Curiosos? Terão de ler o livro. Mas eu deixo aqui uma opinião para aguçar ainda mais o apetite.

A autora leva-nos, desde o inicio numa viagem entre o passado e o presente onde nos dá a conhecer as personagens principais da história, Helen, e as suas duas filhas Dora (Pandora) e Cassie (Cassandra).

Helen, casou cedo, com Richard, porque estava grávida da sua primeira filha, Cassie. E embora tenha sido um casamento que quis, sempre lhe faltou alguma aventura. Aventura que acabou por encontrar nos braços de Tobias, anos mais tarde, um pintor e colega de trabalho na Universidade para a qual ela vai dar aulas.

Cassie, filha primogénita, sempre foi muito independente e por vezes problemática, enveredando por caminhos nem sempre bons. E se nos primeiros anos era amiga da irmã, acabou por se afastar muito dela.

Dora, tranquila, de sorriso fácil, meiga e divertida, sempre gostou muito da irmã a qual chegou a venerar. Mas com a diferença de idades esta aproximação acaba por acabar, e Dora vê-se muito sozinha e consumida pela culpa da tragédia daquele verão.

Aquele fatídico verão. Aquele verão quando Alfie, irmão mais novo de Cassie e Dora, desaparece quando está ao cuidado delas. A partir daqui tudo se transforma, todos se culpam. Todas têm segredos que não querem ver revelados, mesmo a mãe, que disse estar ausente por um motivo falso. Afinal quem é a verdadeira culpada do desaparecimento dele. E estará ele ainda vivo?

Uma história comovente, repleta de revelações. Uma história que nos confronta com o desaparecimento infantil, a droga, a traição, as mentiras e tudo o que isso comporta. As angustias, a tristeza, a dúvida, a aceitação. Um livro escrito de forma simples, mas com uma carga emocional enorme. O tema central, o desaparecimento de uma criança, faz-nos repensar muita coisa e por muita coisa em causa.

Sem comentários:

Enviar um comentário