Crónicas de uma Leitora: No Canto Mais Escuro, de Elizabeth Haynes [Opinião]

terça-feira, 9 de julho de 2013

No Canto Mais Escuro, de Elizabeth Haynes [Opinião]

Para mais informações acerca do livro No Canto Mais Escuro, clique aqui


Sinopse:

No Canto mais Escuro é um thriller psicológico soberbo, a história arrepiante de Catherine Bailey, uma jovem independente e bem-sucedida, que se deixa envolver numa relação amorosa abusiva que se vai pervertendo ao ponto de colocar a sua própria vida em risco. Num jogo psicológico extremamente artificioso e doentio, Lee Brightman, um homem lindo e carismático, vai seduzindo e dominando Catherine. Com uma estrutura narrativa inteligente, a autora dá-nos a conhecer o antes e o depois, a forma como uma relação deste tipo pode transformar uma mulher alegre e confiante numa mulher destroçada, subjugada por um medo constante.

Negro, belo e perturbador, um romance de estreia que arrebatou público e crítica.


Opinião de Claudia Lé:

Este foi um dos livros mais revoltantes que li nos últimos tempos! Quem viu e gostou de «Dormindo com o Inimigo» com a Julia Roberts ou« Basta» com a Jennifer Lopez, este é um livro a não perder de forma nenhuma. Não vale a pena ficarem com dúvidas, pensarem que o compram mais tarde, este é daqueles de se levar para casa na primeira oportunidade e ficarmos de olhos bem abertos pela noite dentro sem conseguir fechar o livro para saber ao certo o que se passou/passa com Catherine. Claro está que, ler este livro pela noite dentro numa casa ou apartamento completamente sozinha, irá despertar em si uma audição tão atenta que ouvirá o mínimo barulho existente e correrá para portas e janelas com o intuito de, tal como Catherine, ter a certeza de estarem trancados...

No decorrer da leitura de No Canto Mais Escuro, apercebemos-nos como é que uma mulher perfeitamente saudável e confiante, desenvolve um transtorno obsessivo-compulsivo por um condicionamento implacável por parte do seu companheiro! Quem estude Psicologia deverá ler este livro sem sombra de dúvida!!! Os transtornos psiquiátricos nem sempre «nascem» com a pessoa, a pessoa pode ser de fato condicionada a desenvolve-los, mesmo personalidades que à partida, nunca foram identificadas como frágeis! Catherine desenvolve este transtorno após outro também já muito conhecido que é o Síndrome de Stress Pós Traumático.

O livro está dividido em capítulos, o período de 2003/2004 e o período de 2007/2008 sendo a leitura de ambos alternada. Simultaneamente conhecemos Catherine e observamos o desenrolar de sua relação com Lee, que à partida não parecia conter nenhum elemento pouco saudável, por outro lado, acompanhamos uma Catherine traumatizada e fechada para tudo e todos, não vivendo a sua vida, apenas sobrevivendo hora após hora. Na leitura do primeiro período vamos-nos revoltando cada vez mais pela forma como Lee trata Catherine, bem como, pela rápida anulação da personalidade da mesma, acabando inicialmente por ceder aos seus caprichos e mais tarde, obsessões, simplesmente porque seria a única forma de sobreviver.

Já a leitura do segundo período da vida de Catherine, que à primeira vista poderia parecer mais triste, cinzenta acaba por se revelar sob a forma de Stuart, o seu vizinho que, aos poucos, acaba por se inserir na vida de Catherine sendo o primeiro a confrontá-la com o seu problema e a sua necessidade de se querer tratar e enfrentar os seus medos! Claro está que paralelamente a esta amizade, acaba por surgir uma atração entre os dois e acompanhamos o renascer do amor entre ambos.

Este é um livro que fará as delícias dos amantes do Thriller Psicológico, aconselho sem reservas uma vez que é bastante inédito na área em questão.

Devo ainda fazer referência à capa, seduziu-me a primeira vez que a vi embora não tenha absolutamente nada a ver com o livro, acabando no entanto por ser uma escolha a nível de marketing bastante apelativa!

4 comentários:

  1. Ola' Claudia!
    Adorei a tua "review"! Apanhaste a estrutura, a alma da narrativa!
    Os seres humanos sao capazes de se destruir mutuamente! A mente e' poderosa e pode ser usada como arma demolidora por isso ha' q ter cautela com qq relaccionamento e sobretudo com o tipo de homem "too good to be true"!
    Foi uma das mensagens q retirei desta historia inteligente e extraordinariamente arquitectada!
    Pelos vistos, temos gostos semelhantes, pois se bem me lembro tb gostaste da "Confissao da parteira"?!
    Abracos e continuacao de boas leituras

    Maria

    ResponderEliminar
  2. Olá Maria, agradeço a sua mensagem gostei muito. De fato este livro mexeu muito comigo, a minha área de formação é a Psicologia, logo li este livro sob os olhos da leitora e da Psicóloga, deveria ser leitura obrigatória na cadeira das psicopatologias. Adorei sim A Confissão da Parteira, tudo o que mexa com o coração e a alma e estarei a adorarrrr.

    ResponderEliminar
  3. Concordo em pleno, Claudia. Tudo o q seja "food for heart" mexe com os sentimentos e desperta interesse , desde q nao seja piroso, claro!
    Tenho andado a divulgar o maximo q posso estas duas autoras : elizabeth Haynes e Diane Chamberlain, para q a Presenca se entusiasme c novas publicacoes e todos possamos usufruir de novas e certamente excelentes leituras!
    Bjao e mais uma vez parabens pela excelente review

    Maria

    ResponderEliminar
  4. Adorei este livro! Nunca tinha lido este género e gostei muito.
    Também dei a minha opinião no meu blog: http://azul-rosaeestrelas.blogspot.pt/2013/07/livros-que-ja-li-este-verao.html

    ResponderEliminar