Crónicas de uma Leitora: "Indiscrição" de Charles Dubow - opinião

sexta-feira, 19 de julho de 2013

"Indiscrição" de Charles Dubow - opinião




Sinopse
Harry e Madeleine Winslow parecem ter sido abençoados na vida: têm talento, charme e dinheiro. Harry é um autor premiado e com uma carreira promissora. Madeleine é uma mulher de beleza sublime e graça cuja bondade e serenidade desmentem a educação privilegiada e vivência no luxo. Ligados por profunda devoção, partilham um amor que provoca inveja.
Num fim-de-semana, num princípio de Verão passado na praia, Harry e Maddy, que estão na casa dos quarenta, conhecem Claire uma jovem aparentemente inocente, inteligente e que desperta com sua a juventude cativante e ingenuidade desarmante uma admiração no casal. Atraída pelo inegável magnetismo dos Winslow, Claire entra na vida no casal. Mas, ao longo do Verão, a amizade e reverência transformam-se em desejo perigoso. O que irá abalar e poderá destruir o mundo dos Winslow.
Uma história de amor, luxúria, engano e traição contada através da perspectiva de Walter, amigo de infância e apaixonado em segredo por Maddy.
Indiscretion é um romance pensado, cheio de fascinantes factos da vida, um irresistível e sensual page-turner, que explora o desejo de ter tudo, e as consequências de querer mais, com um equilíbrio subtil de sexo e muito intimista.
Opinião de Carla Geraldes
O que dizer de um livro cuja sinopse já nos diz tudo? Pouco. No entanto vale a pena falar dele.
O que salta à vista, em primeiro lugar, é que a história nos é apresentada por um narrador, Walter. Advogado de sucesso e amigo de infância de uma personagens principais, Maddy. Ele conta-nos tudo no presente, como se tudo se estivesse a passar agora, no entanto fazendo alusão ao que futuramente se irá passar. Confusos? Imaginem isto: Um palco no teatro. Temos várias personagens a actuar e temos uma voz off. de repente os actores param nas posições em que estão e, detrás do pano, surge Walter: eu sou o narrador e vou-vos contar a história de Harry, Maddy e Claire. História, onde também eu tenho o meu papel." E a actuação no palco continua.
Grande parte do livro está, assim, na primeira pessoa. No entanto há capítulos em que os outros personagens têm a sua própria história. Outra coisa que salta à vista é o facto do livro estar dividido pelas 4 estações do ano e cada estação ter vários capítulos. Uma vez que a história nos é narrada por outra pessoa, torna-a mais verosímil. Passa-se ao longo de 1 ano. Inicia-se, no verão, nos Hamptons, e termina no mesmo sítio.
Voou só falar um pouco da história central, uma vez que irão encontrar mais personagens ao longo da narrariva. Maddy, casada com Harry, e com 1 filho de 4 anos, tinha tudo o que uma mulher podia desejar. 2 casas, dinheiro, um marido escritor premiado, amigos. No meio deste idilico surge uma rapariga, bonita, sensual. É inteligente, cheia de vida e faminta de amor. Harry, em crise de meia idade, acaba por se envolver com ela, pondo de parte a mulher e o filho. Embarca numa aventura que o leva a viajar pela europa e gastar mais do alguma vez pensou, querendo agradar à sua princesa. Quando Maddy descobre é já tarde demais para todos.Uma tragédia acaba por mudar o rumo de todos este personagens. Walter, que desde adolescente é secretamente apaixonado por Maddy, será a "cola" que irá segurar os cacos.
Escrito de uma forma muito ligeira este livro mostra-nos o lado bom e o lado obscuro da vida. Amor, amizade, paixão, traição, mentiras, perdão e morte. Tudo no momento certo, na hora certa para entender a história. Com uma carga emotiva forte, leva-nos por vezes a vários sentimentos: revolta, compreensão e tristeza. Foi um livro que, embora iniciado de pé atrás, me surpreendeu pela positiva

Sem comentários:

Enviar um comentário