Crónicas de uma Leitora: Viver Depois de Ti, de Jojo Moyes (Opinião)

terça-feira, 28 de maio de 2013

Viver Depois de Ti, de Jojo Moyes (Opinião)


Sinopse:

Lou Clark sabe muitas coisas. Sabe quantos passos deve dar entre a paragem do autocarro e a sua casa. Sabe que trabalha na casa de chá The Buttered Bun e sabe que não está apaixonada pelo namorado, Patrick. O que ela não sabe é que vai perder o emprego e que todas as suas certezas vão ser postas em causa.

Will Traynor sabe que o acidente de motociclo lhe tirou o desejo de viver. Sabe que agora tudo lhe parece triste e inútil e sabe como pôr fim a este sofrimento. O que não sabe é que Lou vai irromper na sua vida com toda a energia e vontade de viver. E nenhum deles sabe que as suas vidas vão mudar para sempre.

Em Viver depois de ti, Jojo Moyes aborda um tema difícil e controverso com sensibilidade e realismo, obrigando-nos a refletir sobre o direito à liberdade de escolha e as suas consequências.

Opinião de Claudia Lé:

Às vezes devíamos ler um livro como este para darmos valor às coisas simples de nossa vida que, infelizmente, devido ao espírito consumista que nos rodeia, passam ao lado tantas vezes!

A definição deste livro numa palavra é comovente, a mensagem: aproveitar a vida todos os dias, como gritavam os membros do Clube dos Poetas Mortos; Carpe Diem - aproveite o momento! Passamos a vida a pensar no que queremos fazer, no que queremos comprar, nas férias que desejamos fazer, esquecemos que as coisas mais preciosas de nossa vida, são os pequenos gestos, tudo o que conseguimos fazer por nós mesmos e, acima de tudo; a nossa Liberdade. É impossível ler-se este livro e não ficarmos a saborear a mensagem e quem sabe, pelo menos durante um certo tempo, tentarmos dar valor ao que é realmente importante.

Jojo Moyes envolve-nos e confronta-nos com um tema polémico e que de alguma forma, nos arrepia. Todos nós, em algum momento da nossa vida já fomos mais ou menos diretamente confrontados, com um conhecido que ficou paralítico ou mesmo tetraplégico, tal como a personagem de Will Traynor. No entanto a ironia destas duas personagens prende-se com o fato de Lou Clark também ela parecer encontrar-se tetraplégica, pelo menos segundo a visão de Will, uma vez que ao longo dos seus 27 anos, nada fez para viver a sua vida, para crescer como pessoa, para ambicionar sonhar ir mais além.

Ao longo da narrativa apercebemo-nos que não é Lou a «bengala» de Will mas Will a peça fundamental no crescimento saudável de Lou, promovendo a sua auto-estima e «espicaçando-a» a conhecer os seus limites e quiça, ultrapassá-los. Existe ainda outro tema muito importante na narrativa que não poderei referir mas que nos cortará a respiração quando confrontados com o mesmo.

As diversas personagens encontram-se muito bem caraterizadas, desde a família de Lou, ao namorado maratonista que, a meu ver, é o pesadelo de qualquer mulher que adore ler e comer chocolate branco (categoria na qual me englobo, embora que moderadamente).

Quem agarrou no livro, leu a sinopse e voltou a colocá-lo na estante:

- O QUE É QUE ESTAVA A PENSAR?????

Este é um daqueles livros que recomendamos às nossas amigas e pelo qual ansiamos que o leiam de forma a podermos comentar. Agradeço desde já qualquer comentário vosso e um enorme agradecimento à Porto Editora por o ter publicado. Por favor continuem a publicar esta EXCELENTE autora, este é o tipo de livro que nos aquece a alma!

Sem comentários:

Enviar um comentário