Crónicas de uma Leitora: Perfume de Jasmim, de Jude Devereaux [Opinião]

segunda-feira, 27 de maio de 2013

Perfume de Jasmim, de Jude Devereaux [Opinião]

 
Sinopse: Charleston, 1799: Catherine Edilean Harcourt não tem falta de pretendentes na Virginia, e espera realizar o seu sonho de casar e ter uma família. Mas o espírito aventureiro do Cay é despertado ao visitar o seu padrinho na Carolina do Sul. Acamado com uma perna partida, ele pede a Cay que o substitua numa missão urgente: a caminho de um baile de máscaras, ela deve entregar um cavalo selado ao filho de um velho amigo... que por acaso também é um fugitivo acusado de assassinar a mulher! Cay concorda com o plano, que não corre nada como planeado... e encontra-se em fuga com Alexander McDowell. Embora devesse temê-lo, Cay sente-se atraída para Alex e convence-se da sua inocência enquanto procuram refúgio nos Everglades da Florida. Será que confiar nele vai ser o pior erro da sua vida? Ou apaixonarem-se será a salvação que ambos procuravam?

Opinião de Vera Carregueira:

Andava curiosa sobre esta autora, as opiniões quase unânimes diziam que eu iria adorar e por isso na primeira oportunidade de conhecer o seu trabalho não me fiz rogada e não me arrependo. Perfume de Jasmim é completamente viciante.
Numa escrita fluída, cheia de acção, humor e romance Jude Devereaux trás em Perfume de Jasmim a história do casal mais improvável de sempre.
Cay é uma jovem de 20 anos, rica, mimada, muito feminina e lindissima que foi passar uns dias a casa do tio de modo a poder ponderar acerca das três proposta de casamento que tem entre mãos. Quando o tio lhe pede para salvar o filho de um amigo ela acede quase de imediato. Ao longo da obra vemos um grande amadurecimento da sua personalidade, sujeitando-se a situações que a colocam em perigo para salvar a vida de outra pessoa. É o caso de Alex, condenado à morte por assassinar a esposa na noite de nupcias, que foge ajudado por Cay .
Alex é um homem que aparenta uns 40 anos (ou mais) e apresenta-se a Cay imundo, com uma barba que lhe tapa toda a cara, um sotaque escocês cerrado (que Cay entende na perfeição) e escondendo uma profunda dor pela perda da sua amada esposa.
Pontuado com um sentido de humor hilariante as duas personagens constroem uma amizade e cumplicidade deliciosa com Cay a chamar velho e mal cheiroso a Alex e o mesmo chamando-a de menina deixando entrever entre ambos um abismo de social, cultural e de idades enorme. A relação deles é verdadeiramente fabulosa a autora consegue prender-nos nos mais pequenos detalhes, não temos nada de maçador ou enfadonho aqui, a sua leitura é cheia de ação, há sempre algo a acontecer.
As pequenas discussões e picardias que vamos assistindo entre o casal são realmente divertidas e tornam a leitura leve e envolvente. O mistério e aventuras são dados de forma gradual e enriquecem bastante a obra deixando o leitor ávido por mais.
Fiquei fã desta autora e espero ler os outros livros dela porque Jude Devereaux sabe sem dúvida como nos prender.

3 comentários:

  1. eu achei que este foi o pior livro dela :/ não gostei!

    ResponderEliminar
  2. serio? bem se este é o pior vou amar os outros! :)

    ResponderEliminar
  3. Este livro, se não estou em erro faz parte de uma série..mesmo assim lé-se bem, sem conhecer nada dos livros anteriores?

    ResponderEliminar