Crónicas de uma Leitora: Pele de Mo Hayder [Opinião]

quinta-feira, 16 de maio de 2013

Pele de Mo Hayder [Opinião]


Sinopse

Quando numa manhã quente de Maio, o corpo de uma jovem em estado de decomposição é encontrado perto das linhas férreas às portas de Bristol, tudo apontava para um suicídio. Pelo menos era o que a polícia queria; tudo perfeitamente arrumado e despachado.

Mas o inspector Jack Caffery não tem tanta certeza. Está no encalço de um predador, alguém que se esconde nas sombras e se esgueira pelas casas sem ser visto.

A mergulhadora da polícia Flea Marley trabalha ao lado de Caffery. Tendo finalmente lidado com a perda dos pais e com os traumas do passado, começa a ponderar se a relação de ambos poderá ir além da profissional.

É então que descobre algo que altera tudo. Não só lhe é demasiado próximo como é tão horrível que tem a noção de que nada voltará a ser igual.

E, desta vez, ninguém a poderá ajudar, nem sequer Caffery…


Opinião de Cláudia Lé:

Há livros que nos prendem pela capa, outros pela sinopse e outros ainda pelo 1º capítulo. Desde há algum tempo que tenho o hábito de ler sempre o 1º capítulo de um livro antes de o adquirir, isto é, quando é possível pois nem todas as editoras nos dão esta hipótese. A meu ver, quando o tema/a escrita do autor é apelativa, a partilha do 1º capítulo acaba por ser uma mais valia para a editora e uma ótima fonte de marketing, especialmente quando o capítulo disponibilizado nos deixa em suspense como o deste livro. Infelizmente não encontrei o 1º capítulo deste livro disponível no site das Publicações Europa América nem noutro local, li-o há uma hora atrás e não ainda não terminei o livro, achei no entanto importante partilhar este meu pensamento no início da opinião do livro em questão! Quem esteja indecisa na aquisição do livro, após ler o 1º capítulo, possivelmente clicaria mais rapidamente no icon «adicionar» do que lendo apenas a sinopse.

Antes de mais aviso, contém alguns spoilers!!!!

Arrepiante, tétrico e cheio de um humor negro que nos faz duvidar de tudo e de todos. Os bons não são sempre bons e nem sempre conseguem tomar a melhor opção no entanto, provavelmente se estivéssemos na sua vez... ou faríamos o mesmo ou teríamos todos contra nós... É exatamente estas opções incorretas que Flea Marley acaba por tomar, quando se depara, nada mais nada menos, com um cadáver na bagageira de seu carro. E este não e um cadáver qualquer mas sim um que ela mesmo e sua equipa procuravam convencidos de estarem em perseguição de um serial killer!

Mo Hayder emaranha-nos em sua teia, tal qual uma aranha hipnotizante o que torna bastante difícil o fecho do livro uma vez que, capítulo a capítulo, somos confrontados com a propagação da teia, sem nos apercebermos realmente que caminho os protagonistas seguem. Após o término do livro, ficam muitas interrogações por responder o que me fez pensar que talvez as encontremos no próximo livro, uma vez que este livro faz diversas referências a casos anteriores de Flea Marley e de Jack Caffery... provavelmente existe uma ordem apropriada para a leitura dos livros, ordem essa que não segui. No entanto, aconselho a sua leitura mesmo que seja efetuada à parte dos restantes livros, uma vez que irá proporcionar momentos bastante «agradáveis»!

1 comentário:

  1. Concordo contigo que a leitura do 1º capitulo na maior parte das vezes é completamente um factor decisivo :-)
    Mas não sei porquê, este livro não chama por mim... Talvez seja cansaço, loool :-)

    ResponderEliminar